“Não esperavam esta mudança radical, de quem termina um Curso Profissional de Hotelaria na Escola Profissional de Hotelaria de Manteigas e decide entrar no Seminário”

Entrevista: Tiago Gonçalves – Seminarista da Diocese da Guarda

Tiago Gonçalves entrou este ano para o Seminário depois de ter terminado o Curso Profissional de Hotelaria na Escola Profissional de Hotelaria de Manteigas. É natural da Guarda, da paróquia de São Miguel.
Estudou na Escola Secundária da Sé e Escola Profissional de Hotelaria de Manteigas. Nos tempos livres gosta de ouvir música sacra, ver filmes e fazer caminhadas.
A GUARDA: O que leva um jovem da tua idade a entrar no Seminário?

Tiago Gonçalves: O que me leva a entrar para o Seminário na minha idade é mesmo a força com que me sinto chamado pelo Senhor. Claro que como todas as decisões na vida, tem o seu peso, o peso de renunciar a nós próprios, à nossa família, a “morrermos para o mundo”, para que depois de formados, “Renasça-mos” fortalecidos no Amor de Cristo, capazes de partir para anunciar a Boa Nova. Entro para o Seminário, pelo amor que sinto a Deus, e pela vontade que sinto em responder Sim ao pedido que Ele me faz, que é entregar a minha vida ao seu serviço e ao serviço da sua Igreja.

A GUARDA: Foi uma decisão pensada e ponderada?

Tiago Gonçalves: Sim, esta decisão foi pensada e ponderada e vai continuar a ser, pois apesar de ter entrado para o seminário, o meu discernimento continua, pois este é o momento de ver se realmente é isto a que sou chamado. Foi uma ideia que foi surgindo com o meu aproximar a Deus, através do Coro e do Serviço de Acólito na minha Paróquia, a Paróquia de São Miguel da Guarda, mas também através do meu Pároco, Sr. Padre Henrique Santos, e mais tarde o Sr. Reitor do Seminário da Guarda, Sr. Padre Paulo Figueiró, os quais me foram ajudando a discernir esta decisão e a dar esta passo, aos quais agradeço.

A GUARDA: Como reagiram os colegas de turma quando souberam que ias entrar no Seminário?

Tiago Gonçalves: Esta pergunta é engraçada, pois nem todos souberam. Agora acho que já todos sabem mas na altura foi uma decisão que não partilhei com todos os meus colegas, talvez por receio de não saber muito bem como iriam reagir. Porém os mais próximos com quem partilhei esta minha decisão ficaram um bocado surpreendidos e pois não esperavam esta mudança radical, de quem termina um Curso Profissional de Hotelaria na Escola Profissional de Hotelaria de Manteigas e decide entrar no Seminário. Contudo acolheram bem e sempre me deram apoio e aceitaram a decisão, bem como as minhas professoras do Secundário a quem agradeço todo o apoio e dedicação.

A GUARDA: E a tua família?
Tiago Gonçalves: A minha família reagiu com algum espanto, pois esperavam que eu seguisse a área do meu curso. Sinto que para eles neste momento ainda lhe é um pouco difícil aceitar esta minha escolha, pois sabem o que ela implica, além de ter saído de casa, da distância, é uma escolha de vida diferente, que implica outros sacrifícios e uma entrega total a Deus. Porém acho que neste momento já começaram a ver esta escolha com outros olhos, e estão felizes pelo caminho que decidi seguir.
A GUARDA: Como vês o facto de o Seminário funcionar em Braga e congregar jovens de outras dioceses?

Tiago Gonçalves: Acho bom um lado, pois oferece-nos uma qualidade de ensino acima da média, pois estudamos na Universidade Católica Portuguesa, que está considerada umas das melhores universidades do país, e o facto de o Seminário ser Interdiocesano, ou seja de congregar várias dioceses, é bom, pois contactamos com mais jovens que tal como nós deram o passo de seguir Jesus e de ver se realmente é isto que Ele nos chama a fazer. A distância do nosso meio pode por vezes facilitar o discernimento, pois como estamos fora do nosso meio, obriga a que tomemos uma decisão mais ponderada pois vivenciamos o peso desta decisão. O lado que mais custa é o facto de estarmos longe de casa, da nossa família, da nossa diocese, os primeiros tempos são sempre mais duros porém com a Graça de Deus Tudo é Possível.

A GUARDA: Quais as tuas expectativas em relação a este novo desafio que agora estás a começar?

Tiago Gonçalves: As expectativas são muitas, pois neste momento é tudo novo, e não sei muito bem o que me espera. Inicio o ano zero, o chamado ano Propedêutico, que será um ano sobretudo para discernir e ver se realmente é este o caminho. Tenho alguns anseios em relação à Faculdade, pois o curso não é fácil, e exigente, quer a nível dos estudos, das disciplinas que fazem parte do curso, quer espiritual, em que somos convidados a sermos “Barro” e a deixarmo-nos moldar ao jeito de Deus. Espero também iniciar a minha aprendizagem musical, algo que me fascina imenso, onde espero vir a aprender a tocar Órgão. Contudo espero que esta nova faze seja uma faze de aprendizagem, de crescimento, humano e espiritual, onde consiga encontrar-me verdadeiramente com o Pai.
A GUARDA: Participaste na Jornada Mundial da Juventude que decorreu em Lisboa. Quais os momentos que mais te marcaram ao longo dos dias da Jornada?
Tiago Gonçalves: As Jornadas foram um acontecimento único, algo de grandioso, com um só objectivo, cativar a juventude portuguesa e do mundo inteiro a entregar-se nas mãos de Deus. Para mim foram especiais, pois marcaram também a minha entrada para o seminário, pois deixaram o desafio de nos desapegarmos ao que é supérfluo e que por vezes valorizamos, mas que na prática não nos faz falta nenhuma, a apenas colocarmos na mochila o essencial, o Amor a Deus e aos Irmãos. Os momentos mais marcantes para mim foram a missa de abertura, com o Cardeal Patriarca de Lisboa, na altura, D. Manuel Clemente, onde tive a honra e o privilégio de poder subir ao altar e estar a participar na primeira fila, onde podia observar os milhares e milhares de jovens que enchiam o Parque Eduardo VII, ou como foi chamada “Colina do Encontro”, e ver que tal como eu, existem no mundo milhares de jovens que partilham do mesmo amor a Jesus. Outro dos momentos mais marcantes foi a noite da Vigília, na exposição do Santíssimo Sacramento, onde reinou o silêncio, a paz e a união em oração a Jesus que se fazia ali presente no meio de um milhão e meio de pessoas.

A GUARDA: Como avalias a participação dos jovens da diocese da Guarda na Jornada Mundial da Juventude?

Tiago Gonçalves: A participação dos jovens da diocese foi exemplar, marcaram presença forte e mostraram união. Podíamos ser mais mas acho que fomos os suficientes para marcar a diferença. Agradeço a todos que estiveram comigo nesta experiencia e que de uma forma ou outra me ajudaram a tornar esta experiencia mais especial.

Notícias Relacionadas