“Continuo a acreditar na abertura de uma sede da Fundação Nova Era, na Cidade da Guarda”

Entrevista: João Pina – Presidente da Fundação Nova Era

 

João Manuel do Nascimento Pina tem 57 anos e é natural de Trinta, concelho da Guarda. Reside em França/ Carrières sous Poissy- Arredores de Paris.
É Presidente da Fundação Nova Era desde 2019, com sede em França.
Nos tempos livres gosta de passear no jardim da casa onde o sossego o ajuda a preparar os dias de trabalho.
A GUARDA: Qual foi a actividade mais marcante para a Fundação no ano de 2023?

João Pina: No final do ano passado, a Fundação Nova Era Jean Pina remeteu aos seus parceiros e algumas entidades o seu relatório de actividades de 2023, onde se pode verificar que foram realizadas mais de duas dezenas de actividades.
Em 2023 foram distribuídos cerca de 180 toneladas de alimentos não perecíveis e apoiadas de forma directa, cerca de 9 mil famílias, firmando uma vez mais o compromisso da solidariedade para com todos os que mais necessitam.
Ao olhar para trás, vejo/vemos um ano pleno de desafios, conquistas e momentos também eles, inesquecíveis, fruto do o apoio e dedicação de vários Embaixadores.
Cada dia foi uma página em branco que juntos, escrevemos com experiência, resiliência e que no final do ano que findou, reflectimos sobre as lições aprendidas, as adversidades ultrapassadas e nos momentos menos bons, crescemos na aprendizagem de fazer mais e melhor.
A Fonds de Dotation Nova Era- Foundation par Jean Pina, apoiou milhares de famílias em Portugal e em França, apoiou instituições com carências efectivas, mas acima de tudo, distribuiu esperança e sorrisos aos mais frágeis, aos que mais precisam.
Daí ser difícil responder à questão, não consigo falar de uma única actividade marcante, todas elas são recordadas como valiosas, mas termos reforçado os acordos de cooperação com várias Instituições e Autarquias, foi sem dúvida importante, foram firmados e revalidados 22 acordos de cooperação.
Também recordo e muito agradeço os reconhecimentos recebidos, não são mais de que um estímulo, para seguir em frente, mais forte e pleno de gratidão, reitero.
Falo da condecoração que recebi em Novembro, pela Delegação de Fafe da Cruz Vermelha Portuguesa, fui agraciado com a “Medalha de Benemerência da Cruz Vermelha Portuguesa” e no final do ano, com a “Distinção “Honra ao Mérito de Responsabilidade Social”, entregue pelo Embaixador em Portugal da AFCHL – Academia de Filosofia e Ciências Humanísticas Lucentina, Igor Lopes, sei que o meu nome figura agora, na lista de benfeitores agraciados pela referida Academia, entidade que é signatária do “Pacto Global das Nações Unidas”.

A GUARDA: Que actividades já foram realizadas no presente ano?

João Pina: Apesar de estarmos no segundo mês do ano, já distribuímos várias toneladas de alimentos em Portugal – em Fafe, Santo Tirso e na Região da Guarda.
Foram também formalizados, no decorrer do mês de Janeiro, 2 acordos de cooperação, nomeadamente, com a “Associação Sócio- Cultural Freixeda do Torrão”, presidida pela Dra. Inês Sofia Correia. Esta Associação é uma Instituição particular de solidariedade social, situada em Freixeda do Torrão e com a “Hawk Stars”, trata-se de uma ONG presidida pelo benemérito, Dr. Ângelo Santos, possui sede na Cidade de Pinhel. Esta Associação para Educação, Inovação e Desenvolvimento Social tem como objectivo o “Desenvolvimento de actividades sociais que promovam e contribuíam para o desenvolvimento social, cultural, artístico e da juventude, assim como a promoção da aprendizagem ao longo da vida, tais como: Promoção de projectos e actividades internacionais que visem a recepção e integração de estrangeiros para o desenvolvimento de actividades de educação não-formal com e para o meio envolvente” e no presente mês, com a Associação “ ASAS” de Santo Tirso.
No mês de Janeiro foram ainda entregues bens alimentares, no lar de idosos do “Centro de Acolhimento S. João de Deus”, situado na Guarda.
A GUARDA: Esteve recentemente na Guarda. Quais foram as actividades em que a Fundação esteve envolvida?
João Pina: Desta vez vim de carro, fiz alguns milhares de quilómetros, vim de Paris com uma viatura da minha empresa para que conseguisse entregar bens alimentares na Região da Guarda, já que em simultâneo a empresa “JB7” entregou bens à ACSSR – Associação Cultural e de Solidariedade Social de Regadas/ em Fafe, à Associação de Defesa dos Direitos dos Animais e Floresta em Fafe e à Associação “Asas” de Santo Tirso.
Eu estive na Guarda 3 dias e foram dias muito preenchidos.
Foi revalidado com o “Outeiro de S. Miguel”, na pessoa da Dra. Carla Saldanha, o acordo de Cooperação e consequentemente foram entregues bens alimentares.
Uma vez mais entreguei às duas associações protectoras de animais, “Qoasmi- Associação Protectora dos Animais da Guarda” e à “A CASOTA- Associação Guardense de Protecção Animal” rações e alimentos húmidos para animais abandonados.
Reuni com o Senhor Presidente da Câmara de Almeida, Dr. António Machado e equipa da área social onde abordámos a possibilidade de ir além do protocolo que possuímos no decorrer do ano e na época de Natal, através da entrega de cabazes de Natal. Irei oferecer um “kit” a todos os bebés recém-nascidos no Concelho de Almeida. Este kit será constituído por fraldas, produtos de higienização, toalhetes, um peluche, biberão, chupetas. Tive o gosto de conhecer a loja solidária gerida pelo Município e vermos a melhor forma de estreitarmos laços nesta área.
Ainda nesse dia foi firmado um Protocolo com o Município de Figueira de Castelo Rodrigo, na pessoa do Sr. Presidente, Carlos Condesso. Na verdade, somos parceiros de longa data, mas o protocolo escrito ainda não estava formalizado, foi um momento importante e ficou também, assente no mesmo, a oferta de kits a todos os recém-nascidos do Concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, o primeiro foi cedido nesse dia, para ser entregue daqui a poucos dias.
Oportunidade ainda para visitar e ficar a conhecer de perto e no o âmbito do protocolo de cooperação firmado no final do ano passado, a Associação Sociocultural da Freixeda do Torrão/Figueira de Castelo Rodrigo, mais concretamente, o Lar de Idosos.
Fui recebido pela Senhora Presidente Dra. Inês Correia, pelo Vice-presidente da Direcção, Sr. Vítor Aleixo, por o Tesoureiro, Sr. José Luís Varelas e pelo Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Freixeda do Torrão, Sr. Carlos Coelho.
Vi de perto as suas necessidades, mas acima de tudo, verifiquei o magnifico trabalho de uma equipa muito diligente e profissional.
A GUARDA: O que tem planeado para os próximos meses?

João Pina: Ainda neste mês está previsto a formalização de mais um ou dois protocolos de cooperação com Instituições da Região da Guarda.
No primeiro semestre pretendemos reconhecer os mais diferenciados apoiantes da Fundação, através de uma singela entrega de certificados, que terão a designação de “Certificado de Acção Solidária”.
Serão entregues novamente os prémios de mérito escolar- “Mérito Escolar João Pina”, a 8 reclusos do Estabelecimento Prisional da Guarda.
Estamos a organizar circuitos turísticos de França até Portugal, mais concretamente, ao Distrito da Guarda.
A Fundação considera que esta actividade é uma mais valia na promoção da região da Guarda. O circuito, de 8 dias, que está a ser meticulosamente estudado irá passar pelas aldeias históricas, pela visita a diversas unidades de produção que ainda laboram em modo tradicional, como são o caso, do queijo serra da estrela, do pão e bolos, dos enchidos, da cestaria, do cobertor de papa e terem, também, a possibilidade de respirar o “melhor ar de Portugal”, em sintonia e com a flora e fauna destes territórios de que são exemplo, os “Passadiços do Mondego” e os vários circuitos pedestres espalhados pela região da Serra da Estrela.
No decorrer deste ano realizaremos um concurso destinado ao terceiro sector, em que será oferecido um computador à Instituição vencedora e acima de tudo pretendemos continuar de forma permanente, a apoiar como até aqui, diversas Instituições com a entrega de bens alimentares não perecíveis.
Estamos a avaliar a possibilidade de realizar a 3ª edição da “Ceia Solidária” que tem vindo a realizar-se de dois em dois anos. Estamos em crer que conseguiremos reunir alguns apoios e realizá-la no próximo mês de Dezembro, apesar do aumento do custo de vida e do valor global ser muito elevado.
No final do ano, obviamente e uma vez mais será materializada uma forte campanha de distribuição de cabazes de Natal em Portugal e em França.

A GUARDA: O que lhe falta fazer na Guarda?

João Pina: Como seres humanos que somos devemos ter a ambição de fazer, sempre, mais e melhor, mas continuo a acreditar na abertura de uma sede da Fundação na Cidade da Guarda. Este pedido foi realizado, algumas vezes ao Senhor Presidente da Câmara da Guarda, foi realizado há cerca de dois anos, sem, contudo, termos obtido qualquer resposta. Já estou a estabelecer contactos para arranjar um espaço que permita a quem mais precisa se possa deslocar e levar bens de primeira necessidade (alimentos, roupa), que seja acima de tudo, um espaço onde poderemos reunir com Entidades, Instituições, “estar no terreno é fundamental”, estar próximo das pessoas, é muito, muito importante. Contudo, também temos que ponderar os custos da renda, água e luz e outras despesas fixas, daí procurarmos um espaço a custos controlados e que nos permita assumir a nossa missão- ajudar e colaborar com as famílias, com as entidades
Por vezes os apoios a algumas instituições aguardam algum tempo porque nem sempre temos forma de no imediato fazermos chegar, alimentos, produtos de desinfecção, roupa, entre outros, tendo uma sede, obviamente que esta situação será agilizada.

A GUARDA: Estes gestos solidários envolvem o trabalho de muitas pessoas e empresas, há alguém que queira destacar?

João Pina: Sim, sozinhos não chegamos tão longe. Destaco o meu amigo Filipe do Havre que tem sido fundamental para a distribuição destas toneladas de alimentos. Destaco com muita gratidão os meus colaboradores que estão sempre prontos a ajudar, refiro a Embaixadora de muitos momentos partilhados, a Paty Correia, a Senhora Presidente do “Lar de Santana da Azinha”, Dra. Rosária Santos que está sempre pronta a colaborar connosco, a Junta de Freguesia da Guarda, e dos transportadores que comigo tem colaborado e que de forma voluntariosa fazem chegar os bens a Portugal, são exemplo, a empresa “JB7” e seu responsável, Sr. Brandão, aos “Transportes Bernardo Marques” da Guarda, aos Transportes Mesquita de Amarante e à “Transnós, Transportes Lda”, com sede em Fafe

A GUARDA: Tem recebido pedidos específicos de algumas instituições, que tipo de pedidos?

João Pina: Muitos e todos os dias. Gostaria de satisfaze-los a todos, mas não é possível, como se pode entender. Temos até pedidos para instalarmos máquinas em estabelecimentos, de várias centenas de euros, dinheiro, mas tal não é possível. Mas de forma global são solicitados bens alimentares, roupas, material informático. É conduta da Fundação não oferecer dinheiro.

A GUARDA: Quem se pode associar à Fundação

João Pina: Todos os cidadãos são bem-vindos. “Ajude a ajudar “é simples e não custa muito. As quotizações são a partir de 50 €, se se inscrever a nível pessoal. Deixo o apelo para se fazerem “sócios”, podem contactar o email: novaerafundacaojoaopina @gmail.com para informações complementares e obviamente que será emitido o respectivo recibo de mecenato.
O nosso objectivo para este ano será duplicar o número de embaixadores e apoiantes da Fundação de todos e para todos, tendo em mente o nosso slogan, a solidariedade em movimento.

Notícias Relacionadas