Necrópole rupestre de Moreira de Rei com mais de 600 sepulturas

Trancoso

Em Moreira de Rei, concelho de Trancoso, estão concluídos os trabalhos de arqueologia na necrópole rupestre de Moreira de Rei, a maior da Península Ibérica, com mais de 600 sepulturas antropomórficas devidamente limpas e visíveis. O espaço deverá abrir ao público no início de 2024.
Para mostrar o trabalho realizado, a Câmara Municipal de Trancoso promoveu uma visita ao local, com a presença da Diretora Regional de Cultura do Centro, Suzana Meneses, no dia 7 de Julho.
Os trabalhos arqueológicos, que tiveram início em 2018, com a limpeza da área, revelaram 670 sepulturas de adultos e crianças.
Suzana Menezes disse que “estamos a falar de um achado arqueológico de uma importância cultural, patrimonial e histórica bastante significativa, cujos trabalhos de arqueologia terminaram agora. Este é um momento único e especial em que podemos ver todas as sepulturas a descoberto”. E acrescentou: “O levantamento entretanto realizado, que inclui a limpeza pormenorizada de toda a área, permitiu revelar a imensidão da necrópole e concluiu tratar-se de sepulturas antropomórficas de adultos e crianças, algumas com ossadas ainda visíveis, que remontam a um período entre os séculos oitavo e nono e XII e XIII”.
A Diretora Regional de Cultura do Centro explicou que o sítio arqueológico vai entrar numa segunda fase de intervenção, que passa pelo arranjo daquela área, reabilitação da igreja e instalação de um centro interpretativo dentro do templo religioso. De todo o conjunto ficarão a descoberto apenas algumas sepulturas, enquanto a maioria será tapada, para efeitos de preservação futura.
Suzana Menezes adiantou que os trabalhos devem estar concluídos até final de 2023, permitindo a abertura do sítio arqueológico ao público no início de 2024.
A intervenção, da responsabilidade da Câmara Municipal de Trancoso, tem o valor de 329 mil euros, quase 270 mil financiados por fundos europeus, e o restante assumido pela autarquia.
O presidente da Câmara Municipal de Trancoso disse que o projecto é “de elevada importância”, não só para Moreira de Rei e Trancoso, mas também “para a região e para o país”. Amílcar Salvador disse que este projecto “vai proporcionar uma grande diversidade e uma grande oferta turística a todos aqueles que se interessam por estes assuntos da história, do património e, neste caso, concreto, por aquela necrópole de Moreira de Rei”.
Recorde-se que em Moreira de Rei, para além da igreja de Santa Marinha, as ruínas do castelo e o pelourinho também são Monumentos Nacionais.

Notícias Relacionadas