“Última Chamada: O Que Ainda Não Foi Contado Sobre a Crise Global” vence CineEco

> Região > Seia > “Última Chamada: O Que Ainda Não Foi Contado Sobre a Crise Global” vence CineEco
Jornal A Guarda

Seia

O filme “Última Chamada: O Que Ainda Não Foi Contado Sobre a Crise Global”, é o vencedor do Grande Prémio Ambiente da 20.ª edição do CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, que decorreu em Seia, entre 11 e 18 de Outubro. O júri internacional atribuiu o Grande Prémio Ambiente ao filme “Última Chamada – O Que Ainda Não Foi Contado Sobre a Crise Global”, do realizador italiano Enrico Cerasuolo.
O Prémio da Lusofonia foi atribuído a “Neram N’Dok”, dos portugueses Luís Melo, Diogo Ferreira e Emanuel Ramos, sobre como a governação participativa, pode ajudar a melhorar as condições de vida das populações, na área marinha protegida das Ilhas Urok, na Guiné-Bissau. Na Competição Internacional de Longas-Metragens foram atribuídos o Prémio de Educação Ambiental para “Mbeubeuss, O Terreno Fértil Para a Esperança”, de Nicolas Sawalo Cissé (Senegal), um filme sobre a vida das crianças que vivem num dos maiores aterros de lixo do mundo, nos subúrbios de Dakar; e o Prémio de Antropologia Ambiental, para “Costa da Morte”, de Lois Patiño (Espanha), um filme que estabelece uma poderosa relação do homem com a dura natureza, filmado na região do noroeste da Galiza. Na Competição Internacional de Curtas-Metragens, o júri que acumulou também a nova Competição de Séries e Documentários Televisivos, atribuiu, por unanimidade, o prémio principal de curtas a “Limite Zero”, de Helena Hufnagel (Alemanha), um filme sobre a central nuclear mais “segura” do mundo, e o prémio das obras televisivas a “Zero Waste”, de Raffaele Brunetti (Itália), sobre a acções de cidadania dos habitantes de Nápoles, para melhorar a gestão dos lixos e resíduos urbanos.
O Prémio Lusofonia/Panorama Regional foi atribuído a “Outono”, de Marco Amaral (Portugal), rodado na região da Serra da Estrela sobre o despovoamento do Interior do país, através da história de uma criança que para ir à escola tem de percorrer uma grande distância e um caminho quase desconhecido. O Júri da Juventude atribuiu o seu prémio principal a “Virunga”, de Orlando von Einsiedel (Reino Unido), sobre os guardas que protegem um dos maiores parques naturais do mundo, que abriga os gorilas de montanha no Congo. O júri da Juventude atribuiu ainda as seguintes Menções Honrosas: Longa Internacional: “Mbeubeuss, O Terreno Fértil Para a Esperança”, de Nicolas Sawalo Cissé (Senegal); Curta Internacional: “Vento”, de Robert Löbel, (Alemanha); Longa Lusófona: “Serra Pelada”, de Vitor Lopes, (Brasil); Curta Lusófona: “Ilhas Desertas”, de Madalena Boto e Alexandre Vaz, (Portugal / Cabo Verde); Panorama Regional: “Aqui não se passa nada”, de Isadora Sousa Pinto, (Portugal); Séries e Documentários: “Portugal Terra”, de João T. Vasconcelos, (Portugal).
A organização adianta que durante o evento passaram mais de 6 mil espectadores pelas salas do CineEco, na Casa Municipal da Cultura de Seia.

Últimas notícias

17 de Maio, 2024
Município de Seia assinala Dia Municipal do Bombeiro
17 de Maio, 2024
Jornal A GUARDA celebra 120 anos de história
17 de Maio, 2024
Fundação Nova Era Jean Pina ajuda instituições em Portugal e França
17 de Maio, 2024
Quercus atribui “Qualidade de Ouro” a dez praias da região da Guarda
17 de Maio, 2024
Jornada diocesana de pastoral familiar dedicada à caminhada sinodal

Notícias Relacionadas