Rota do rio Seia cria circuito pedestre e ciclável entre aldeias do concelho

> Região > Seia > Rota do rio Seia cria circuito pedestre e ciclável entre aldeias do concelho
Jornal A Guarda

Seia

A Rota do rio Seia, integrada na rota da rede de percursos do concelho de Seia, foi inaugurada no dia 9 de Setembro. A Rota do Rio Seia, com uma extensão total de 15,6 quilómetros, tem início no centro de Seia e faz a ligação entre as diversas aldeias historicamente ligadas ao rio, entre as aldeias de Santiago, Folgosa do Salvador, Santa Comba, Sameice e Pereiro, a terminar na aldeia de Vila Verde.
A abertura do percurso no vale do rio Seia foi assinalada com um percurso interpretativo e uma cerimónia, no Açude do Pífaro, presidida pelo Secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, Carlos Miguel, e pelo presidente da Câmara Municipal de Seia, Luciano Ribeiro.
O presidente da Câmara de Seia disse que o processo de revitalização das margens do rio Seia para fruição turística foi “uma opção estratégica do Municipio de Seia, iniciada há alguns anos com a valorização dos caminhos pedestres e dos espaços tradicionais para usufruto da população enquanto espaços de lazer.”
Luciano Ribeiro explicou que a intervenção no vale do rio Seia surgiu na sequência dos incêndios de 2017, com a recuperação da galeria ripícola. Seguiu-se uma candidatura ao Programa de Desenvolvimento Rural – PDR 2020, destinado à dinamização das aldeias, através da criação do actual circuito pedestre e ciclável. Adiantou que a rota assenta, sobretudo, em caminhos já existentes, “interligando as canadas, os caminhos tradicionais” e, onde tal não foi possível, foram construídos pequenos troços de passadiços e uma ponte fixa, “para tornar este circuito mais acessível, sempre ligado ao que mais interessa que são as pessoas mais próximas ao rio”.
O autarca de Seia falou de um investimento total de 277 mil euros, financiado em 80% pelo PDR 2020, respeitante a 150 mil euros, tendo contado nesta última fase com o apoio de 80 mil euros do Fundo de Emergência Municipal, para suportar os danos num dos passadiços, causados pelo incêndio florestal de 2022.
O presidente da Câmara na sua intervenção anunciou, ainda, a continuidade do percurso, do açude do Pífaro até ao limite do concelho vizinho, fundamentada na aprovação de uma candidatura que, numa fase inicial terá como enfoque a recuperação das galerias ripícolas naquela área.
O Secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, Carlos Miguel, destacou a beleza do percurso e a sua funcionalidade, aluindo ao facto de servir e passar nas povoações, um “convite para a vivência destes territórios”.
Na passagem por Seia, o Secretário de Estado Carlos Miguel também esteve nos Paços do Concelho, onde o presidente da Câmara apresentou um resumo das obras apoiadas pelo FEM.
Luciano Ribeiro evidenciou a capacidade de execução financeira da Câmara Municipal nos quatro programas beneficiados pelo Fundo de Emergência Municipal, repartidos entre investimentos nas infraestruturas e equipamentos municipais danificados nos incêndios de Outubro de 2017, depressões Elsa e Fabien (Dezembro de 2019), incêndios florestais de 2022 e cheias e inundações em Dezembro de 2022.
No total, o Município investiu cerca de 3 milhões e 264 mil euros, a que correspondeu uma compartição financeira do Fundo de Emergência Municipal de 1,8 milhões de euros.

Últimas notícias

24 de Maio, 2024
A imprensa regional é parceira e peça chave do desenvolvimento local
24 de Maio, 2024
Jornadas Diocesanas da Pastoral Social dedicadas à sustentabilidade das instituições
23 de Maio, 2024
Figueira de Castelo Rodrigo – Encontro de Professores Aposentados do Distrito da Guarda
23 de Maio, 2024
Seia – Jornadas de Museologia nas Misericórdias
23 de Maio, 2024
Manteigas – Luís Tavares e Emília Barbeira vencem Prémio Dr. João Isabel

Notícias Relacionadas