Câmara garante certificação do heliporto junto da Autoridade Nacional de Aviação Civil

Seia

A Câmara Municipal de Seia submeteu o processo de certificação do Heliporto de Seia junto da Autoridade Nacional de Aviação Civil. “Trata-se do cumprimento de um objectivo essencial para garantir a presença de uma aeronave de primeira intervenção de combate a incêndios no Centro de Meios Aéreos de Seia, assim como a respectiva brigada da Unidade de Emergência de Protecção e Socorro (UEPS) da GNR”, explicou Luciano Ribeiro na reunião Comissão Municipal de Protecção Civil em que foi avaliada a situação de contingência em vigor no País.
Trata-se de um processo de certificação “altamente exigente e rigoroso, mas que a autarquia garante querer levar até ao fim, no sentido de garantir a certificação de toda a infra-estrutura aeronáutica”.
No âmbito do Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil a autarquia tem diariamente, no terreno, três equipas de sapadores florestais, que fazem vigilância armada, silvicultura preventiva e apoio ao serviço municipal de protecção civil, recursos humanos capacitados, equipamentos e viaturas, entre outros meios.
A autarquia destacou o trabalho na rede de defesa da floresta contra incêndios em matéria de rede primária, com recurso ao orçamento municipal e aos fundos comunitários e outros incentivos.
Luciano Ribeiro lembrou o investimento sem precedentes na defesa da floresta, com a autarquia a assumir, na sua plenitude e de forma activa, o papel de autoridade municipal de protecção civil, garantindo capacidade de intervenção e resposta, mas também actuando no domínio dos riscos que ameaçam as populações e na mitigação das consequências.
Recordou a melhoria da capacidade de intervenção mecânica das equipas municipais, aumentando a produtividade e eficiência dos trabalhos preventivos realizados, em virtude do reforço dos recursos humanos e materiais que o Município tem vindo a fazer.
A Câmara de Seia também tem apoiado as Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários, quer do ponto de vista financeiro, quer por via da aquisição de equipamentos, de acordo com as necessidades manifestadas por cada uma das instituições, o apoio à modernização de infra-estruturas, parque automóvel e material técnico-operacional, entre outros.
Na reunião da Comissão Municipal de Protecção Civil, Luciano Ribeiro considerou fundamental, “como todos perceberam nos incêndios de 2017, envolver a sociedade civil nesta dinâmica, sensibilizando a comunidade para a adopção de medidas de autoprotecção e de prevenção”.

Notícias Relacionadas