Alunos da escola Secundária formam laço humano

Seia

Cerca de 150 alunos da Escola Secundária de Seia marcham, no próximo dia 8 de Abril, contra os maus-tratos infantis, num acto de sensibilização que culminará na formação de um “Laço Humano”, junto ao monumento do Bombeiro.
A iniciativa procura chamar a atenção da comunidade para a problemática da violência de jovens e crianças, temática que tem sido desenvolvida no contexto escolar com estes alunos, e que neste dia se reflectirá em mensagens, presentes em cartazes, mas também no material informativo que será distribuído durante a actividade.
A actividade tem início na Escola Secundária de Seia, às 10.30 horas, com a caminhada dos alunos e professores pela cidade até à Avenida 1.º de Maio, circuito que terminará junto ao monumento do Bombeiro, local onde, por volta das 11.00 horas, alunos e professores, irão formar um laço humano (azul). Fruto desta acção, o trânsito no percurso assinalado e estacionamento junto ao jardim sofrerá alguns condicionamentos.
A GNR também se associa a esta causa, promovendo nessa manhã, no recinto dos Bombeiros Voluntários, algumas demonstrações da sua acção para a população em geral, nomeadamente com os serviços do Núcleo de Investigação e de Apoio a Vítimas Específicas, meios cinotécnicos e cavalaria, prevenção rodoviária, Grupo de Intervenção e socorro e Equipa do Núcleo de Programas Especiais.
O evento também contará com a colaboração da “Senatuna” – Tuna da Escola Superior de Turismo e Hotelaria do Instituto Politécnico da Guarda e do Grupo de Cavaquinhos da Academia Sénior de Seia, que proporcionarão momentos de animação.
A formação do “Laço Humano” é a primeira acção da campanha “Abril – Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância”, promovido pelo Município de Seia, a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Seia (CPCJ) e o Contrato Local de Desenvolvimento Social + SENA, tendo em vista a consciencialização da comunidade, para a importância da prevenção dos maus-tratos na infância; da família, para o exercício de uma parentalidade positiva; e da criança/ jovem, para os seus Direitos.

Notícias Relacionadas