Lançamento do concurso Revive da Casa Grande, em Pinhel

Pinhel

O lançamento do concurso REVIVE da Casa Grande, no centro de Pinhel, era um dos pontos da agenda da visita que a Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, tinha marcado para esta quarta-feira, 22 de Junho, a Pinhel.
A Casa Grande é um imóvel incluído em Zona Especial de Protecção de Monumento Nacional que faz parte do REVIVE, um programa que abre o património ao investimento privado para o desenvolvimento de projectos turísticos, através da concessão da sua exploração por concurso público.
Trata-se de uma Casa nobre barroca, construída na primeira década do século XVIII junto à muralha de Pinhel, pertenceu à família Antas e Menezes, que na época detinha a alcaidaria-mor da vila.
Durante as Invasões Francesas o edifício foi ocupado pelas tropas francesas, que aí se instalaram no ano de 1810. Mais tarde, passou a pertencer à família Noronha e Avilez, e em finais do século XIX foi vendido ao Conde de Pinhel.
No século XX a Casa dos Condes de Pinhel tornou-se sede do Grémio da Lavoura e nos anos 1973-1974 a cooperativa agrícola cedeu o espaço à Câmara Municipal de Pinhel. O solar, que estava então adossado ao edifício dos Paços do Concelho, foi objecto de algumas obras de conservação, passando depois a desempenhar funções de sede da autarquia. Actualmente, o edifício está desocupado.
De cordo com a descrição “o edifício engloba zona habitacional e espaço de capela. Destacam-se na fachada principal portais com pilastras molduradas, janelas de sacada com moldura rectangular simples e varandim de pedra com guarda de ferro forjado, apoiado em mísulas decoradas por florões, brasão com armas reais no cunhal sudoeste, e empena recta com cornija e cachorros decorados com palmetas e rosetas”.
E acrescenta: “Do interior ressalva-se um átrio com três arcos plenos, que dão acesso a uma escadaria de lanços opostos, os salões nobres com tectos planos, pintados com motivos vegetalistas estilizados e cenas campestres, e a chaminé trapezoidal da cozinha. A capela, de planta rectangular simples, com porta em arco abatido, possui nave única coberta por abóboda de berço de madeira e capela-mor com retábulo em talha dourada”.
O programa da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques para esta quarta-feira também integrava a visita a Barca D’Alva – Embarcações de Barca D´Alva e à Aldeia Histórica de Portugal de Castelo Rodrigo, com a entrega do prémio Best Tourism Villages UNWTO à Comunidade de Figueira de Castelo Rodrigo e a iniciativa “Experience AHP – Aldeias Históricas de Portugal: Projecto Valorizar”

Notícias Relacionadas