Programa das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril apresentado na primeira semana de Abril

Câmara da Guarda

O programa das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, na Guarda, vai ser apresentado na primeira semana de Abril. O anúncio foi feito pelo presidente da autarquia, Sérgio Costa, na reunião do executivo desta segunda-feira, 25 de Março, deixando ainda a garantia de que o programa “não se esgota no dia 25 de 2024” e que deverá prolongar-se até Abril de 2025. E acrescentou: “Ao longo do ano haverá um grande conjunto de iniciativas”.
Sobre construção de um monumento ao 25 de Abril, numa rotunda da Guarda, Sérgio Costa disse que “o assunto foi exposto sem o conhecimento da Câmara da Guarda”.
Em relação ao local em que vai ser construído o monumento ao 25 de Abril, o presidente da câmara explicou que foi escolhido o sítio em que se vai causar o menor impacto possível com o existente. E adiantou: “Não queríamos destruir nada do que já estivesse feito”.
O monumento ao 25 de Abril, na Guarda, será uma escultura de arte contemporânea, da autoria do arquitecto António Saraiva, e ficará na rotunda junto ao Hotel Versatile e ao antigo Colégio de S. José.
Sérgio Costa lembrou ainda que foram pedidas sugestões a todos os membros da comissão executiva das comemorações do 25 de Abril. O assunto da programação das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, na Guarda, foi levantado pela vereadora do PS. Adelaide Campos referiu que “é triste que a Guarda não esteja a corresponder às exigências políticas e sociais” em relação a uma data tão importante na história da democracia portuguesa. E acrescentou: “É muito triste que a Guarda esteja tão omissa quando a maior parte das cidades já apresentou um programa consistente”. Considerou que, nesta matéria, “a Câmara da Guarda está ausente” pois “não vemos qualquer esboço de actividades”.
Lamentou nada saber sobre a construção do monumento ao 25 de Abril numa rotunda da cidade. E explicou: “Como vereadora não sei o que se passa. Acho isto lamentável. Sinto-me humilhada”.
“Queria que eu e os vereadores do PSD fossemos parte das decisões e das soluções. Não estamos disponíveis para ser tratados como idiotas úteis”, disse Adelaide Campos.
Carlos Chaves Monteiro também criticou a forma como está a ser tratado o processo relacionado com a construção do monumento ao 25 de Abril. O vereador do PSD questionou o montante, no valor de 106 mil euros, envolvido neste projecto.
Recorde-se que a Câmara anunciou, no ano passado, a constituição de uma comissão de honra e de uma comissão executiva para a elaboração de um programa para assinalar os 50 anos do 25 de Abril no concelho da Guarda.

Notícias Relacionadas