Estabelecimento Prisional da Guarda tem alunos no ensino superior

Ordem dos Economistas ofereceu livros para a Biblioteca

A Biblioteca do Estabelecimento Prisional da Guarda “ficou mais rica” com a oferta de 750 volumes por parte da Ordem dos Economistas. A sessão formal da entrega dos livros aconteceu esta terça-feira, 15 de Novembro, e contou com a presença do Bastonário da Ordem dos Economistas.
“A nossa biblioteca ficará bastante mais rica, pois temos uma biblioteca com cerca de 3500 volumes, desde o romance a livros técnicos, história”, disse Luís Couto, Director do Estabelecimento Prisional. E acrescentou: “Agora ficaremos com mais de 4 mil livros, o que torna a Biblioteca mais rica no ponto de vista técnico”.
O responsável deu conta de que “o Bastonário da Ordem dos Economista depois de saber que tínhamos alunos no ensino superior que nos debatíamos com algumas dificuldades inerentes à aquisição de bibliografia extensa, decidiu atribuir à Guarda cerca de 750 livros da área da economia e da gestão para que os nossos alunos tivessem uma biblioteca suficientemente robusta, para o trabalho em que estão imbuídos”.
Luís Couto explicou que “o bastonário quis vir conhecer os alunos, fazer a entrega formal destes 750 livros que já estão connosco há quinze dias”. Depois de catalogados, os livros ficarão disponíveis “à população reclusa na biblioteca”.
Luís Couto referiu ainda que alguns dos alunos são da área de economia e “vão ficar todos satisfeitos” com os volumes entregues pela Ordem dos Economistas.
Actualmente, o Estabelecimento Prisional da Guarda tem 4 alunos no ensino superior, mas já chegou a ter 13, “dos quais alguns se licenciaram e estão no mercado de trabalho na área em que se licenciaram”
“Quando percebemos que há pessoas com capacidade para evoluir nos seus estudos incentivamo-los e alguns têm sido alunos de sucesso”, referiu Luís Couto. Destacou o trabalho dos professores do Instituto Politécnico que, para além de darem as aulas normais “vão ao Estabelecimento Prisional, estão com os alunos, disponibilizam documentação para os alunos, tiram dúvidas aos alunos”, ou seja “trabalham na reinserção social dos alunos”.
O Estabelecimento Prisional da Guarda tem, desde 2003, alunos candidatos ao ensino superior e no ensino superior a fazer a sua formação académica e 80% deles concluíram os cursos.
Luís Couto disse ainda que o Estabelecimento Prisional conta com “uma área específica para as pessoas do ensino superior, uma sala específica para eles poderem estudar, para fazerem os seus trabalhos, fazerem a sua vida diária enquanto alunos do ensino superior”.
Na vertente do ensino, o Estabelecimento Prisional da Guarda também tem alunos desde o ensino básico ao ensino secundário. “Temos neste momento 137 alunos que fazem parte de 11 turmas que estão divididas, dez pelo Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque e uma, que é a que está no Mondego, que são senhoras, com a Escola Secundária da Sé”, explicou Luís Couto.

Notícias Relacionadas