Câmara avança com projecto de remodelação da zona do Bonfim

Guarda

Na Guarda, na zona do Bonfim, as ruas Mestre de Avis, Afonso de Albuquerque e Nuno Álvares vão ser requalificadas. A Câmara da Guarda tem em curso a elaboração de um projecto muito importante para esta zona da cidade que já não é mexida há 70 anos.
O presidente da autarquia, Sérgio Costa, disse que “estamos a falar de um eixo muito importante da cidade” onde existem alguns constrangimentos ao nível das infra-estruturas que se encontram enterradas e onde se verificam constantes rupturas.
Na última reunião, que teve lugar no dia 24 de Agosto, o Presidente da Câmara disse que se trata “de uma grande revolução” que vai ter de ser feita nesta artéria da cidade, na zona do Bonfim. A obra é “absolutamente necessária” e implica “abastecimento de água, saneamento, águas pluviais, energia eléctrica, telecomunicações, gaz”, para além do próprio perfil viário que vai ter de ser alterado.
Tratando-se de uma das mais movimentadas vias da cidade, em termos de trânsito rodoviário, o projecto para a obra, designado de “Projecto de Execução da Requalificação Urbana do Sistema Viário Estruturante do Bonfim” deverá estar concluído até final do ano, prevendo-se o início da obra em 2024. Entretanto, para minimizar a situação a curto prazo, a zona, constituída pelas Ruas Dom Nuno Alvares Pereira, Mestre de Avis e Afonso de Albuquerque, deverá ser alvo de pequenos arranjos.
Enquanto se elabora o projecto, pois todas as infra-estruturas enterradas vão ter de ser substituídas, o autarca prometeu, para breve, “um pequeno arranjo para minimizar as lombas que há naquela zona”.
“Esperemos que a obra possa ter início em 2024, assim o projecto esteja concluído”, disse Sérgio Costa. O projecto implica “um investimento muito avultado” que será “candidatado a fundos comunitários”.
Sérgio Costa frisou que com o projecto que está em curso vai ser feita uma grande revolução na zona do Bonfim, “nesta zona importante da cidade que não é mexida há 70 anos”.
O projecto prevê a substituição de todas as infra-estruturas enterradas, bem como a alteração do perfil rodoviário.

Notícias Relacionadas