Guarda, Celorico da Beira, Manteigas e Sabugal criam sistema conjunto de gestão de água

Águas Públicas em Altitude – Serviços Intermunicipalizados

Os municípios da Guarda, Celorico da Beira, Manteigas e Sabugal formalizaram, esta segunda-feira, 19 de Fevereiro, a constituição da Águas Públicas em Altitude – Serviços Intermunicipalizados, que vai gerir a água dos quatro concelhos.
Esta entidade junta a gestão financeira operacional dos serviços de abastecimento público de água para consumo humano, de saneamento de águas residuais urbanas e de águas pluviais de um território com 61 mil habitantes.
Na apresentação do projecto, que antecedeu a assinatura da escritura, foi referido que o sistema APAL – SIM Águas Públicas em Altitude – Serviços Intermunicipalizados é um dos primeiros sistemas do país a fazer a gestão integrada da água, do saneamento e das águas pluviais.
Os autarcas dos concelhos que integram esta nova entidade destacaram a importância do projecto conjunto que torna possível a candidatura a fundos comunitários potenciando a concretização de investimentos, ao mesmo tempo que permite ganhos na eficiência e eficácia com uma gestão conjunta e mais sustentável, bem como a qualificação dos recursos humanos e dos serviços.
O Presidentes da Câmara da Guarda, Sérgio Costa, considerado pelos outros autarcas como o impulsionador do projecto, disse que “esta entidade é fundamental a vários níveis, nomeadamente para a gestão integrada das três áreas: abastecimento de água, saneamento de águas residuais e águas pluviais”. Referiu ainda que “os munícipes já vão começar a sentir os benefícios porque o tarifário deste ano, no caso concreto da Guarda, se não fosse um tarifário agregado e de convergência dos quatro municípios, já seria superior em função daquilo que nos é imposto”.
A vice-presidente da Câmara de Celorico da Beira, Teresa Cardoso, salientou que com esta agregação será feita uma gestão “mais sustentável e mais profissional”, fazendo um melhor aproveitamento dos recursos.
O presidente da Câmara de Manteigas, Flávio Massano, disse que, com este projecto, os municípios envolvidos estão a ter a coragem de decidir e de implementar medidas que vão acautelar todo o serviço, garantindo a sustentabilidade do sistema. Reconheceu que o município de Manteigas é o que “tem a situação mais deficitária”.
Vitor Proença, presidente da Câmara do Sabugal, destacou a importância da nova entidade para o território. Considerou que “é importante que valorizemos os recursos que temos, modernizemos os nossos sistemas para que no final o consumidor saia a ganhar”.
Neste modelo de gestão os municípios envolvidos pretendem captar Fundos Comunitários, manter 100% da titularidade dos Serviços de Água, assegurar o controlo das tarifas e dos investimentos, bem como o controlo executivo e deliberativo, de cada Município; autonomia administrativa, financeira e patrimonial; ganhos de qualidade em termos globais dos serviços aos Munícipes.
A nova estrutura vai absorver os funcionários dos quatro municípios, num total de cerca 70 colaboradores, um modelo que agrada ao Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL). O coordenador regional da Guarda, José Catalino, disse que os trabalhadores vão continuar a ser trabalhadores da administração pública, cada um no seu município.
A Águas Públicas em Altitude – Serviços Intermunicipalizados vai ter sede na Guarda, no Edifício do Condão, no Largo de São Vicente, com delegações nos outros três Municípios.

Notícias Relacionadas