Primeiro Congresso da Rede das Comunidades para a Economia Cívica

Gouveia

No dia 19 de Setembro, a cidade de Gouveia vai acolher o 1.º Congresso da Rede das Comunidades para a Economia Cívica, que envolverá 12 Municípios e mais de 200 entidades públicas, privadas e da economia social e cidadãos de todo o país.
No congresso, a realizar no Cine Teatro de Gouveia pela Associação para a Economia Cívica Portugal, estarão representadas Comunidades de Bragança, Campo Maior, Elvas, Arronches, Fundão, Idanha-a-Nova, Gouveia, Lousã, Penela, Vila Real, Vila Velha de Ródão e Miranda do Corvo. Naquele dia serão apresentadas as Agendas para a Inovação Societal e Mudança de cada uma das dez Comunidades para a Economia Cívica já constituídas e criada a Rede das Comunidades para a Economia Cívica, estabelecendo os seus objectivos e formas de intervenção, em especial do Fundo para a Inovação Societal e Cívica da Associação para a Economia Cívica Portugal, que será criado para apoio a projectos inovadores e com impacto na Comunidade onde se desenvolvem os projectos.
O congresso dispõe de um espaço e de uma agenda para a apresentação de ideias, propostas e projectos concretos sobre as questões que serão debatidas no quadro da Agenda do Congresso, que podem ser apresentadas por qualquer cidadão ou organização. O desemprego, questões demográficas como a baixa natalidade, a saída de adolescentes em idade escolar ou o êxodo de profissionais qualificados, o não aproveitamento dos recursos naturais, sobretudo em termos agrícolas ou florestais ou dos recursos patrimoniais como casas, quintas e terrenos abandonados, os incêndios, o isolamento dos idosos, a falta de participação cívica, a violência, são alguns dos problemas já identificados nas dez Comunidades que integram o projecto da Associação para a Economia Cívica Portugal.
As Agendas de Inovação Societal e Mudança aprovadas pelas Comunidades para a Economia Cívica vão ainda ser submetidas a debate público nas primeiras semanas de Setembro nas respectivas Comunidades. Pretende-se, assim, que os membros das Comunidades apresentem as Agendas à Cidadania, expliquem as Orientações que foram aprovadas e respondam a dúvidas que possam surgir sobre o seu conteúdo e alcance.
Refira-se que a iniciativa para a Economia Cívica é promovida por um grupo de cidadãos e de entidades e instituições públicas, privadas e da economia social, de referência na sociedade portuguesa com implantação no interior do país. O objectivo desta Iniciativa é a de promover a economia cívica entendida como um modelo de desenvolvimento económico e social baseado na co-criação entre entidades públicas, privadas, da economia social e a Cidadania, de bens e serviços de interesse geral que dêem uma resposta inovadora e sustentável a problemas, necessidades e desafios societais complexos e que possam gerar um impacto social positivo nas comunidades onde são desenvolvidos.

Notícias Relacionadas