Posto Territorial da GNR de Figueira de Castelo Rodrigo

Figueira de castelo Rodrigo

A Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo assinou um contrato de Cooperação Interadministrativo com a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna e com o Comando Geral da GNR para a reabilitação do Posto Territorial da Guarda Nacional Republicana de Figueira de Castelo Rodrigo, numa cerimónia que contou com a presença do Ministro José Luís Carneiro.
O contrato foi assinado no Salão Nobre dos Paços do Concelho e envolveu a Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna e ainda a Guarda Nacional Republicana. Na referida cerimónia, o contrato foi homologado pelo Ministro da Administração Interna. No final, decorreu uma visita às atuais instalações do Posto Territorial da GNR de Figueira de Castelo Rodrigo.
O presidente da Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo disse que “quando há união de esforços e vontade política, quem fica a ganhar são os cidadãos e, neste caso concreto, estou certo que as forças da GNR vão ter finalmente, e depois de terminadas as obras, todas as condições de trabalho para desempenharem melhor neste concelho as suas funções, quer no atendimento a quem aqui reside, mas também a quem nos visita, quer na salvaguarda da segurança de pessoas e bens deste concelho”.
Carlos Condesso aproveitou a presença do Ministro para “solicitar um reforço de efectivos da GNR para este Posto Territorial, a fim de fortalecer, ainda mais, a imagem de que Figueira de Castelo Rodrigo é um concelho seguro, onde vale a pena viver, investir e dele desfrutar em plena segurança”.
O edifício onde está instalado o Posto Territorial Figueirense há muito que se encontra num estado elevado de degradação, nomeadamente nos balneários e acomodações dos militares que ali desempenham as suas funções, garantindo com esta reabilitação mais conforto e melhores condições aos militares da GNR.
A Câmara Municipal irá, agora, lançar o procedimento de empreitada e respectiva execução, bem como a fiscalização e coordenação de segurança em obra, num investimento que irá rondar 1 milhão e 400 mil euros, que será, depois, reembolsado pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.

Notícias Relacionadas