Obras de restauro revelam novas pinturas murais na Igreja de Malhada Sorda

Almeida | Malhada Sorda

Uma pintura mural do São Bartolomeu, do início do século XVII, que se encontrava tapada pelo retábulo lateral direito, dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, foi a mais recente descoberta resultante das obras de recuperação que estão a decorrer na igreja paroquial de Malhada Sorda, concelho de Almeida.
Os trabalhos estão a ser promovidos pela Fundação Família Luzia Esteves Pinheiro, com o objectivo de recuperar a igreja e de a devolver “à sua originalidade, recuperando o traço que ela teve na sua origem, na construção das suas diferentes fases”.
A Igreja tem outras pinturas murais localizadas na capela-mor, que já eram conhecidas da população. Trata-se de exemplares do século XVI onde são representados episódios do Genesis: a criação de Adão e Eva e expulsão de ambos do Paraíso.
No decorrer da apresentação dos trabalhos em curso, no dia 22 de Março, os responsáveis pela obra adiantaram que serão criadas condições para que as pinturas da capela-mor possam ser visitadas depois da colocação do Retábulo de talha dourada. O mesmo não poderá acontecer com a pintura de São Bartolomeu que depois de devidamente documentada, fotografada e registada voltará a ser tapada pelo retábulo do sagrado coração de Jesus cuja qualidade da talha o impõe. Maria Conceição Raposo, presidente da Fundação Família Luzia Esteves Pinheiro disse que a descoberta da pintura de S. Bartolomeu “foi uma surpresa”. Na visita ao local adiantou ser “um privilégio ver aquilo que durante séculos e séculos não foi visto”.
O coordenador do projecto de restauro, Nelson Neves, da empresa N-Restauros, de Vila Nova de Gaia, considerou que as pinturas que se encontram nas paredes da Igreja são “um tesouro”. Considerou ser “um privilégio ter uma oportunidade de ver o que era feito há tanto tempo”. E acrescentou: “Tudo o que aqui está é de boa qualidade, incluindo a técnica e os materiais utilizados”.
As obras no interior e exterior da Igreja de Malhada Sorda, com recuperação de um muro lateral destruído nas Invasões Francesas e reabilitação da Torre Sineira, estão orçadas em cerca de dois milhões de euros.
Maria Conceição Raposo adiantou ao Jornal A GUARDA que a inauguração das obras está prevista para Junho de 2025, no dia Corpo de Deus (ver entrevista na página 8). E acrescentou: “A realização das obras na Igreja Matriz de Malhada Sorda “era um sonho das minhas primas (irmãs do Padre José Júlio Pinheiro). Pouparam a vida toda para poder recuperar a Igreja”.

Notícias Relacionadas