A vontade de Deus e a participação de cada um, na construção do seu reino

DOMINGO XI DO TEMPO COMUM

A Liturgia da Palavra deste XI Domingo Comum, coloca diante de nós a perspetiva divina do crescimento do Reino de Deus que surpreende a lógica humana tão controlada pela visão programática.

A vontade de Deus não pode ser sujeita a esquemas e vontades humanas tão hermeticamente programadas para um resultado que na grande maioria das vezes não é atingido.

Por isso, a Palavra proclamada hoje, faz-nos refletir sobre a vontade de Deus, “Eu próprio arrancarei um ramo novo e vou plantá-lo…” (Ez 17,22) que nos leva à descoberta da nossa missão de instrumentos nas mãos do Senhor, para colaborarmos com a nossa ação.

É nesta condição que nos foi confiada, de sermos construtores do Reino e não donos dele porque, na medida em que tenho consciência de que é Deus quem quer, então a minha postura é fazer a sua vontade.

Quantas vezes queremos sobrepor a nossa vontade à de Deus, quantas vezes colocamos a nossa confiança nas nossas capacidades e programas para que as coisas de Deus aconteçam como nós queremos. Ora a Palavra de Deus neste domingo, surpreende-nos com a imprevisibilidade de Deus: um povo tão pequeno e numa situação de exílio é apontado, para os tempos messiânicos, como um grande povo, segundo a vontade de Deus. A semente lançada à terra, germina e cresce, sem o homem que ele lançou, saber como; e a semente mais pequenina semeada “começa a crescer e torna-se a maior de todas as plantas da horta”.

Assim, os exemplos apresentados na Liturgia da Palavra, confirmam a certeza de que as coisas acontecem e concretizam-se por vontade de Deus e não por vontade autónoma do Homem.

A primeira leitura da profecia de Ezequiel, apresenta a imagem de uma árvore frondosa, um Cedro, do qual o próprio Deus vai arrancar um ramo novo e plantá-lo e ele crescerá e tornar-se-á um Cedro frondoso e majestoso. Esta imagem é usada para falar do povo eleito, que pelo afastamento à vontade de Deus, se encontra em exílio, mas que Deus não esquece e virá o tempo em que a grandeza deste povo será revitalizada e surgirá um novo povo grandioso, do qual farão parte todos os povos da Terra unidos pela mesma pelo mesmo dom da salvação.

No evangelho, Jesus conta duas parábolas, com um intuito de provocar nos ouvintes a reflexão sobre o Reino de Deus que Ele quer que seja uma realidade e que quem quiser fazer parte dele deve aceitar a vontade de Deus, nas suas surpresas e imprevisibilidades.

Assim, a primeira parábola apresenta-nos todos os passos e atitudes, isto é, etapas no amadurecimento da fé: em primeiro lugar, tendo a semente, é preciso semear. Mas para semear é preciso escolher o terreno adequado e perceber se aquela semente se adapta ou não ao clima e às características daquele lugar. Assim deve acontecer na missão evangelizadora.

Em segundo lugar, depois de semear, há que deixar crescer. Assim, também na evangelização, dar o espaço e o tempo necessários para que Deus faça a sua parte, sem grandes pressas ou pressões de resultados e números. É, pois, o Tempo de entregar à Providência, através da oração, esse caminho que nem sequer está sob o nosso controlo.

Em terceiro lugar, a colheita como último passo sabendo que também tem requisitos a seguir. É preciso esperar que atinja a maturação ou maturidade, acompanhando o processo sem precipitações achando que o processo está concluído quando ainda não se atingiu a maturidade plena.

Por isso, em cada momento devemos fazer o discernimento acerca dos passos a dar em cada etapa, para que o percurso da fé seja um percurso sólido.

Estes pontos de reflexão salientados pelo profeta Ezequiel e por Jesus, têm em si conclusões pertinentes para a nossa ação pastoral: é Deus que realiza a obra, ainda que pedindo a nossa colaboração; A capacidade de Deus para engrandecer aquilo que é pequeno, enriquecer aquilo que é pobre, fazendo de pequenas sementes grandes árvores; A humildade em que Deus coloca a semente para que a vitalidade surja como alimento de Esperança renovadora da Igreja e do Mundo.

Carlos Manuel Dionísio de Sousa

Notícias Relacionadas