Equipamento vai nascer no Parque da Saúde da Guarda


A Unidade de Saúde Familiar Carolina Beatriz Ângelo vai ter instalações construídas de raiz, no Parque da Saúde da Guarda. António Luis Serra, Director Clínico para os Cuidados de Saúde Primários da ULS Guarda, disse no final da inauguração deste modelo de organização de Cuidados de Saúde Primários que já estão a trabalhar para “arranjar instalações novas para esta Unidade de Saúde Familiar que serão dentro da área do Parque da Saúde”.
A Unidade de Saúde Familiar Carolina Beatriz Ângelo foi inaugurada esta segunda-feira, 16 de Janeiro, e está a funcionar no Centro de Saúde da Guarda (Lameirinhas).
O mesmo responsável adiantou que a Unidade de Saúde Familiar Ribeirinha irá para o antigo Pavilhão António de Lencastre, também no Parque da Saúde.
O Pavilhão António Lencastre é um edifício emblemático do Parque da Saúde e da cidade da Guarda, que se encontra devoluto e bastante degradado. Recorde-se que, actualmente, a Unidade de Saúde Familiar ‘A Ribeirinha’ funciona em instalações alugadas que “não são as melhores para o efeito”.
Em Maio de 2022, João Barranca, Presidente do Conselho de Administração da ULS Guarda, disse que estava em curso o processo tendo em vista a realização do projecto de reabilitação e adaptação do edifício António Lencastre.
António Luís Serra recordou que o Pavilhão Rainha D. Amélia será para o Centro de Investigação Nacional do Envelhecimento e outros serviços. Com esse objectivo foi assinado um protocolo, em Maio de 2022, entre a Unidade Local de Saúde da Guarda e o Municipio da Guarda.
Na ocasião foi explicado que o protocolo tem a ver com a possibilidade da criação do Centro Nacional de Investigação do Envelhecimento, inserido com o Departamento da Gestão do Conhecimento, “para que desta forma possamos dar melhores condições de formação, atrair mais profissionais de saúde, dar mais condições aos profissionais de saúde”, sob o ponto de vista do envelhecimento.
A autarquia da Guarda designou mesmo o Centro Nacional de Investigação do Envelhecimento como “fundamental para o futuro da Guarda, para o futuro do nosso Hospital, da nossa Unidade Local de Saúde”.