Guarda | Saúde


“Desafio todos os agentes locais regionais e nacionais, com responsabilidade política e de gestão na área de saúde a estarem ao nosso lado na defesa da nossa Maternidade e da nossa urgência obstétrica”, disse o presidente da Câmara da Guarda, em conferência de imprensa, depois de ter reunido, no dia 10 de Novembro, com os profissionais de saúde para debater Urgência Obstétrica da Guarda e da Maternidade
Sérgio Costa reuniu com representantes dos profissionais de saúde e instituições de regulação de forma a conhecer melhor a realidade do serviço de Maternidade da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda.
Estiveram presentes na reunião o Presidente do Órgão Sub Regional dos Médicos, José Manuel Rodrigues, o Delegado do Sindicato Independente dos Médicos, João Pedro Silva, o Presidente do Conselho Jurisdicional Regional do Centro da Ordem dos Enfermeiros, Enfermeiro Valter Amorim e o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses delegados (Enfermeiro Joaquim Nércio e Enfermeiro Pedro Antunes, Enfermeiro Honorato Robalo).
“Quisemos conhecer a realidade do serviço e o que sentem e pensam os profissionais de saúde. Hoje não falámos de apenas num serviço, não discutimos apenas “números”, ou fizemos um estudo à distância sem conhecer a realidade no terreno”, disse Sérgio Costa.
O presidente da Câmara Municipal adianta que foi discutido “em conjunto uma parte fundamental e imprescindível do futuro da saúde da Guarda, conversámos sobre uma parte do futuro dos nossos filhos, dos nossos netos, e sobre um dos serviços que mais contribui para o povoamento do nosso território.”
Lembrou que “um Hospital do Interior tem de ser atractivo com condições iguais ou melhores que uma instituição do litoral. Recuso-me enquanto Presidente da Câmara Municipal da Guarda, acompanhado pelo meu Executivo e pelo Presidente da Assembleia Municipal da Guarda, a assistir passivamente ao lento desmembrar da ULS da Guarda.”
Sérgio Costa deu conta de que “são vários casais que procuram a Guarda para terem os seus filhos, porque na Guarda existem profissionais que nunca abandonaram o SNS, mesmo nos momentos mais difíceis, profissionais de excelência, que acima de tudo têm como valor fundamental o Humanismo”.
O Presidente da Câmara da Guarda disse que pediu uma audiência com o Ministro da Saúde, mas “ainda não obtivemos agendamento, apesar das várias tentativas”. Considerou que a “preocupação com a saúde dos Guardenses está presente 24 horas por dia”, afirmando que “todos os políticos de todos os quadrantes e todas as instituições da Guarda têm de rumar para o mesmo lado e falar a uma só voz”.
Sérgio Costa deu ainda conta de que o Governo está a realizar um investimento no valor de mais de 8,5 Milhões de Euros para a Requalificação do Edifício 5 do Hospital da Guarda, para a instalação dos serviços de Pediatria, Obstetrícia, Urgência Pediátrica e Obstétrica, Neonatologia e Ginecologia. Disse tratar-se de um “investimento fundamental para a instalação do Departamento da Mulher e da Criança (DMC) na Guarda”.