Gouveia


O Município de Gouveia aprovou, por maioria, na última reunião da Assembleia Municipal, a emissão de parecer desfavorável no âmbito da discussão e votação da Proposta referente ao Programa de Prospecção e Pesquisa do Lítio no concelho de Gouveia.
A proposta do executivo tinha sido aprovada, por unanimidade, na reunião de Câmara de 14 de Fevereiro, também foi aprovada na Assembleia Municipal com 22 votos a favor da bancada do PSD e 15 abstenções por parte do PS e dos presidentes das Juntas de Freguesia de Figueiró da Serra e de Folgosinho.
A autarquia explica que “relativamente ao parecer inicial, enviado no âmbito da consulta pública ao Relatório de Avaliação Ambiental Preliminar do Programa de Prospecção e Pesquisa de Lítio, a única diferença da proposta é a redução muito significativa, de cerca de 90%, da área no concelho de Gouveia, inicialmente prevista, no entanto, continuam a ser afectadas áreas do concelho consideradas sensíveis, nomeadamente nas freguesias de Cativelos (707,49 hectares), Arcozelo da Serra (569,19 hectares), União de Freguesias de Rio Torto e Lagarinhos (2464 hectares) e Vila Nova de Tazem (31,26 hectares)”.
Recorde-se que a Direcção Geral de Energia e Geologia (DGEG) colocou em Setembro de 2021 em consulta pública o relatório de avaliação ambiental preliminar do Programa de Prospecção e Pesquisa de Lítio das oito potenciais áreas para lançamento de procedimento concursal.
A autarquia presidida por Luís Tadeu encara o Programa de Prospecção e Pesquisa de Lítio com preocupação e apreensão, não apenas pela potencial e significativa “invasão prospectiva” do território concelhio, mas principalmente, pelas consequências nefastas que advêm da actividade mineira consequente, de que são principais exemplos: a contaminação atmosférica (saúde pública das populações); a contaminação de solos, lençóis freáticos e linhas de águas, destacando-se o Rio Mondego numa extensão de 7,25 Km; o prejuízo para actividades agro-pecuárias e o impacto paisagístico e consequências de cariz ambiental, directamente e indirectamente na actividade turística.
“A qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável que se ambiciona para o Concelho de Gouveia e para a região, assentam no aproveitamento equilibrado e sustentável dos principais valores naturais, culturais, paisagísticos, económicos e sociais que fazem parte e são característica do território do Concelho”, refere Luís Tadeu.