Os lugares comuns são lugares de salvação

Domingo II do Tempo Comum

 

A Liturgia da Palavra do tempo comum, que já estamos a celebrar, e que preenche a maior parte das semanas do Ano Litúrgico, dá-nos a possibilidade de acompanharmos os gestos, as ações e as palavras de Jesus que por sua vez vamos compreendendo e conhecendo melhor, assim como a Sua Missão.
Neste Segundo Domingo do tempo comum encontramos a figura de João Batista que dá testemunho e apresenta o Messias-Jesus como “O Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. E é significativo o lugar e o contexto em que João O apresenta: O batismo de Penitência que João estava a realizar, onde acorriam a ele para o receberem e serem perdoados dos seus pecados.
É no meio dos pecadores que Jesus é apresentado como o “Cordeiro de Deus, que tira a pecado do mundo”. Assim João Batista assume, que ele não é o Messias, que ele não quer enganar ninguém, mas que Aquele que está no meio deles é verdadeiramente o “Filho de Deus “.
João Batista dá-nos, pois, um testemunho de humildade e autenticidade, porque a sua atitude revela que sabe bem que a sua missão de Percursor estava realizada e que quem era importante e que deviam seguir era Aquele sobre quem “o Espírito Santo desceu e repousou”.
Assim, Aquele que é apresentado, é Aquele de quem a profecia de Isaías, na primeira leitura, diz: “Tu és o meu servo, por quem manifestaria a minha glória” e que realça ainda mais a sua missão, “vou fazer de Ti a luz das nações, para que a minha Salvação chegue até aos confins da terra”. (Is 49,6)
É também Jesus que assume o cumprimento desta Profecia quando afirma:” Eu sou a Luz do mundo, que me segue terá a Luz da vida”. (Jo 8,12)
Somos assim chamados, como cristãos-católicos, a seguir Aquele que é a Luz verdadeira, para que a nossa vida seja vivida iluminada pela Verdade que nos orienta nas diversas circunstâncias e situações da nossa existência.
É assim também que São Paulo nos diz na segunda leitura que todos somos chamados a seguir o caminho da Santidade, entenda-se da verdade, em qualquer lugar onde o nome de Jesus seja invocado.
Temos, pois, um rumo e um objetivo, seguir Jesus, que é o Cordeiro de Deus, para que poe Ele a Salvação fique ao nosso alcance.
Que nos caminhos da vida, saibamos valorizar os pequenos gestos e acontecimentos que são parte integrante da nossa existência e são também reveladores da presença amorosa de Deus.
Guiados pelo Espírito Santo, vamos vislumbrando os sinais no nosso caminho, que nos levam a entender como Deus ama a Pessoa na sua vida e nas suas ocupações diárias, como quer fazer parte da nossa vivência existencial e como quer que nós encontremos n’Ele a misericórdia e o Perdão.
Como João Batista apontou para Aquele que era o “Cordeiro de Deus” que nós, pelo nosso exemplo e pelo nosso testemunho saibamos ajudar os outros a reconhecer Jesus Cristo, o Salvador do mundo.

 

Notícias Relacionadas