OS CAMINHOS NOVOS, Levam à Fé Trinitária

IX DOMINGO COMUM – SANTÍSSIMA TRINDADE – SOLENIDADE

Vivemos a Solenidade da Santíssima Trindade, inserida nas celebrações das solenidades do tempo comum e numa perspetiva de vivência da fé como o culminar dum caminho feito e marcado pelo Mistério Pascal que nos insere no Mistério de Deus – uno e trino.
Todo o sentido da presença do Filho Unigénito de Deus no meio dos Homens se encontra na missão redentora e salvífica e na revelação divina manifestada na linguagem humana do Verbo Encarnado que põe ao nosso alcance a Imagem linguística do Deus Criador, Salvador e Consolador nas três pessoas divinas.
Assim reconhecemos que Aquele que assumiu a nossa natureza humana, a pessoa divina que é o Filho, nos deu a conhecer, a pessoa divina que é o Pai e a pessoa divina que é o Espírito Santo, para que no Deus único em que acreditamos, vejamos as manifestações de cada pessoa divina distinta na vida de todas as criaturas.
A Liturgia da Palavra para esta Solenidade da Santíssima Trindade tem na primeira leitura e no salmo o exemplo de um Povo que ao ser escolhido por Deus, o vai formando na fé do Deus único para que marque a diferenças com os outros povos na diversidade dos seus deuses e ídolos.
Por isso a súplica de Moisés, para que Deus caminhe no meio do Seu Povo, tem todo o sentido e manifeste a Sua misericórdia e o Seu perdão nos momentos em que invejem os outros povos na sua fabricação de “ídolos de metal fundido”. É a proximidade e a clemência de Deus com o Seu Povo que a História da Salvação revela os escolhidos e os enviados para fortalecerem a fé do Povo e a sua história e assim marcarem os passos para a aceitação plena da Revelação feita, mais tarde, pelo Filho de Deus feito Homem.
É na presença do Filho Unigénito de Deus no mundo que o evangelista São João, no texto do evangelho hoje, nos revela o Amor de Deus.
Enviado pelo Pai, o Filho veio salvar e não condenar o mundo e assim elevar a natureza humana a participar da Glória de divina. É o mistério da Santíssima Trindade um mistério de Amor revelado no tempo pelo Verbo feito Homem e assim dado a conhecer o Amor salvífico para com a Humanidade.
Assim em Jesus Cristo, Verbo Encarnado, Deus deu-se a conhecer como Comunhão de Pessoas distintas e participantes da mesma Natureza que se manifesta na vida e na existência de todas as coisas. Conhecemos de maneira imperfeita, segundo a nossa capacidade humana, as manifestações de Deus Uno e Trino, porque o Verbo encarnado nos foi falando dos sinais reveladores presentes na vida dos homens.
É por isso que, a maneira Trinitária com que São Paulo saúda os Cristão de Corito nos leva a entender que desde a perceção da Trindade Santíssima vai marcando o Ensino dos Apóstolos e da Igreja.
Todas as fórmulas Trinitárias que a Igreja tem na sua doutrina e na ação litúrgico/sacramental marcam a vivência da Fé na Santíssima Trindade, nos recorde a todos e a cada um de nós que fomos batizados em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Assim lembrados, é tempo de assumirmos que a Igreja só pode exercer bem a sua missão, na medida em que vive em comunhão, à imagem da Santíssima Trindade e procura que os seus membros encontrem na unidade o sentido da sua pertença.
Rezar os louvores e glórias ao nosso Deus é continuarmos a dizer: “Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora e sempre. Ámen!

Notícias Relacionadas