Bispo de Aveiro revisitou vida e obra de D. João de Oliveira Matos

Centenário da Liga dos Servos de Jesus

O bispo de Aveiro e também Vice-postulador da Causa de Beatificação de D. João de Oliveira Matos, antigo bispo auxiliar da Guarda, foi o orador da primeira conferência que a Liga dos Servos de Jesus está a promover no âmbito do centenário da sua fundação. D. António Moiteiro abriu um ciclo de conferências que procuram aprofundar as intuições do fundador da Liga dos Servos de Jesus, a centralidade da Eucaristia na espiritualidade do Servo de Deus e a actualidade da mensagem de D. João de Oliveira Matos e o seu contributo para a Igreja dos nossos dias.
A Liga dos Servos de Jesus, fundada por D. João de Oliveira Matos, está a preparar a celebração do seu centenário que ocorrerá no próximo dia 11 de Fevereiro de 1924.
Na conferência que decorreu no dia 7 de Outubro, no Outeiro de S. Miguel, D. António Moiteiro destacou os seguintes pontos sobre a vida e obra do antigo bispo auxiliar da Guarda: ‘O episcopado de D. Manuel Vieira de Matos’; ‘Visitador Diocesano e bispo auxiliar da Guarda’; ‘As visitas pastorais’; ‘A fundação da Liga dos Servos de Jesus’; ‘Declaração das Virtudes Heróicas’.
Em relação ao episcopado de D. Manuel Vieira de Matos, o bispo de Aveiro referiu que “coincidiu com os tempos conturbados da implantação da República, pelo que foi uma das vítimas dos republicanos, por defender a Igreja e a vida cristã”. Lembrou que “no dia 14 de Outubro de 1910, nove dias depois da implantação da República, foi confiscado o Seminário Menor da Diocese, o do Mondego, onde era formador o padre João de Oliveira Matos” e que no “no dia 11 de Novembro foi a vez do Seminário Maior, o de D. Nuno de Noronha, tendo sido entregue à Câmara Municipal”. Num documento de 11 de Dezembro de 1911, um grupo de sacerdotes da diocese faz “um manifesto de apoio ao seu bispo, onde o primeiro subscritor é o P. João de Oliveira Matos”.
O bispo de Aveiro abordou, de seguida, o tempo em que D. João de Oliveira Matos foi visitador Diocesano e bispo auxiliar da Guarda. Referiu que “após cinco anos de ausência em Braga, como secretário particular de D. Manuel Vieira de Matos, para onde tinha sido transferido no ano de 1915, regressou à Diocese, sendo nomeado, pelo Papa Bento XV, Camareiro Secreto de Sua Santidade, em 20 de Março de 1919 e, pelo bispo diocesano, Visitador Diocesano, em 15 de maio do mesmo ano”
A ordenação episcopal de D. João de Oliveira matos foi no dia 25 de Julho, na catedral da Guarda.
As visitas pastorais de D. João de Oliveira Matos pela Diocese da Guarda começaram no dia 7 de Junho de 1920. No Boletim da Diocese da Guarda, de Setembro de 1920, foi anunciado o êxito com que a visita pastoral estava a ser feita. Outro dos pontos vincados pelo bispo da Aveiro foi a fundação da Liga dos Servos de Jesus. Recordou que os extractos da Acta da Fundação referem que “a Obra que vamos fundar terá o nome de Liga dos Amigos de Jesus e será para homens, mulheres, casados, solteiros e até doentes”.
D. António Moiteiro terminou a intervenção recordando que o papa Francisco assinou um Decreto, no dia 3 de Junho de 2013, em que “declara que o Servo de Deus D. João de Oliveira Matos praticou as virtudes teologais e cardiais em grau heróico, fazendo uma síntese da vida e obra do Servo de Deus”
“Que a celebração deste centenário ajude a revigorar esta obra tão meritória na nossa diocese da Guarda e ser apelo de novas vocações para servos de Jesus” foi o apelo deixado por D. António Moiteiro no final da conferência que juntou algumas dezenas de pessoas.
As conferências continuam no dia 18 de Novembro, com o Bispo de Viseu, D. António Luciano (Centralidade da Eucaristia na espiritualidade do Sr. D. João de Oliveira Matos) e no dia 9 de Dezembro, com o Padre José Manuel Martins (Actualidade da mensagem do Sr. D. João e o seu contributo para a igreja dos nossos dias).

Notícias Relacionadas