O Dia Mundial do Doente é comemorado anualmente a 11 de Fevereiro, memória litúrgica de Nossa Senhora de Lourdes.

Dia mundial do Doente

A data foi instituída em 1992, pelo Papa João Paulo II e tem sido aproveitada tendo em vista a sensibilização da sociedade civil para as necessidades e direitos da pessoa doente.
“Cuidar do doente, cuidando das relações” é o grande desafio da mensagem do Papa Francisco para a celebração deste ano.
“O primeiro cuidado de que necessitamos na doença é uma proximidade cheia de compaixão e ternura. Por isso, cuidar do doente significa, antes de mais nada, cuidar das suas relações, de todas as suas relações: com Deus, com os outros – familiares, amigos, profissionais de saúde –, com a criação, consigo mesmo. É possível? Sim, é possível; e todos somos chamados a empenhar-nos para que tal aconteça. Olhemos para o ícone do Bom Samaritano (cf. Lc 10, 25-37), contemplemos a sua capacidade de parar e aproximar-se, a ternura com que trata as feridas do irmão que sofre”, refere o texto.
A mensagem recorda que “a condição dos doentes convida-nos a todos a abrandar os ritmos exasperados em que estamos imersos e a reentrar em nós mesmos” e pede que “cuidemos de quem sofre e está sozinho, porventura marginalizado e descartado”.
Numa altura em que todos os dias somos confrontados com situações confrangedoras relacionadas com as escalas de atendimento nas urgências dos hospitais e com a falta de médicos de família, um pouco por todo o país, é importante que os doentes não sejam esquecidos pois são eles a razão de ser dos equipamentos e instituições ligadas à saúde.
É evidente que não podemos esquecer o direito a melhores condições de vida de todos os que cuidam dos doentes, sejam eles auxiliares, enfermeiros ou médicos. A sociedade será mais justa se todos formos tratados na devida medida.

Notícias Relacionadas