Liberdade e vocação

“Trocar o instante pelo eterno” é o tema da Semana de Oração pelas Vocações que está a decorrer até Domingo, 30 de Abril.

A vocação é o que há de mais fundamental na vida de qualquer pessoa, pois todos somos chamados a um projecto de vida concreto. O que está em causa na vocação é discernir esse projecto, abraçá-lo com determinação e seguir sempre em frente, rumo à meta que é proposta.
São muitas e variadas as propostas de vocação com que o ser humano se debate o que, muitas vezes torna a escolha mais difícil. Não deixa de ser positivo este aspecto na medida em que a liberdade tem sempre a última palavra a dizer. Poder escolher, ter liberdade para o fazer, é o primeiro passo para um bom projecto de vida. Sabemos que muitas vezes essa liberdade é condicionada por razões políticas, culturais e até mesmo religiosas. Neste tempo que é o nosso, estes condicionalismos não deveriam existir, mas sabemos que ainda são muito frequentes nas sociedades hodiernas.
Portugal assinalou esta semana uma data que apelidou de ‘Dia da Liberdade’. Depois de décadas de opressão e ditadura o povo passou a ter mais voz e mais força. A revolta de Abril ajudou a rasgar as amarras da ditadura e, aparentemente, a liberdade passou a ser uma realidade. Passados quase 50 anos dessa data, que muitos apelidam de memorável, é altura de nos interrogarmos sobre o que temos feito da liberdade conquistada. Onde está a nossa liberdade de pensar e actuar? Hoje, mais do que nunca, tudo nos é imposto. O nosso poder de decisão e escolha é muitas vezes blindado por políticos e fazedores de opinião pública.
Mas voltemos à Semana de Oração pelas Vocações e não esqueçamos principalmente os jovens que estão na idade das grandes decisões. É o tempo de cada um e cada uma tomarem a grande decisão da sua vida. Que todos possam fazer as suas escolhas com liberdade, desprendimento e alegria.

Notícias Relacionadas