Um automóvel sedutor!

Peugeot 408 PHEV 180

O Escape Livre esteve, na última semana, por terras do Douro, mais precisamente, ligámos Lisboa ao Pinhão, para conhecer o novo Peugeot 408. O modelo de ensaio estava equipado com o sistema híbrido Plug-In da Stellantis a debitar 180 CV e, no final dos muitos quilómetros cumpridos ao volante, o novo crossover da casa do Leão sai com nota muito positiva deste primeiro ensaio.
Os preços do 408 são simpáticos para aquilo que oferece. A gama do Peugeot 408 é muito simples. Três níveis de equipamento: Allure, Allure Pack e GT. O 408 a gasolina (1.2 PureTech 130) custa 35.800€, 37.450€ e 40.250€, respetivamente. O 408 PHEV 180 começa nos 45.150€ do Allure, seguindo-se os 46.500€ do Allure Pack e fechando nos 49.200€ do GT. Finalmente, o 408 PHEV 225 só está disponível nas variantes Allure Pack e GT, que custam, respetivamente, 47.900€ e 50.700€. Depois, o 408 é uma excelente alternativa se busca por um SUV. É diferente, tem espaço interior que chega, sobra e ainda sobeja, e tem um comportamento melhor que um SUV. Finalmente, com as propostas de crédito da Leasys, a empresa financeira da Stellantis, pode ter um automóvel que o faz sobressair da multidão por 500€/mês (sem IVA) se for uma empresa, ou 540€ (com IVA e entrada de 4.750€) se for um comprador particular.
A razão para ligar Lisboa ao Pinhão ao volante do Peugeot 408 foi a estreia da versão híbrida Plug In com 180 CV, opção que se junta ao bloco 1.3 PureTech a gasolina com 130 CV e ao híbrido Plug In com 225 CV. O sistema híbrido da Stellantis utiliza uma bateria com 12,4 kWh o que oferece, aos híbridos, uma autonomia entre 62 e 64 km em modo puramente elétrico. Todos estão equipados com caixa automática de 8 velocidades. O 408 oferece de série o carregador de 3,7 kW e, como opcional, o 7,4 kW. E digo-lhe, desde já, que recomendo, vivamente, optar por este extra. Porque, assim, numa “wallbox” de 32A/7,4 kW, a bateria carrega em 1h40. Se não optar por este extra, poderá carregar o seu 408 numa tomada convencional reforçada de 16A/3,7 kW, mas vai levar 3h25, enquanto numa tomada doméstica (8A/1,8 kW) leva 7h05.
O interior utiliza o i-Cockpit da Peugeot com mostradores digitais que são claros, mas cuja precisão deixa algo a desejar. Curiosamente, o ecrã central tem um… ecrã central para o controlar! Bem, é mais uma barra sensível ao toque que é personalizável.
A qualidade de construção é elevada e o espaço interior é abundante com 188 mm de espaço para arrumar os joelhos. A bagageira tem duas versões, uma para os PHEV com 454 litros e outra para o modelo a gasolina com 536 litros.
O comportamento em estrada é excelente e devorar quilómetros com o 408 é um regalo. O conforto está num nível perfeitamente razoável.

Notícias Relacionadas