Via-Sacra dos jovens evocou realidades e problemas actuais

Iniciativa decorreu na Igreja de São Miguel – Guarda

A Via-Sacra dos Jovens que decorreu na Igreja de São Miguel (Estação da Guarda) evocou algumas das realidades e problemas da actualidade com que se debatem os jovens e também a sociedade.
Ao longo das 14 estações foram lembrados os pobres, os doentes, os que estão sós, os desempregados, a falta de habitação, a guerra e os abusos.
Por proposta do Comité Organizador Local (COL) da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023, as dioceses de todo o país uniram-se na celebração da Via-Sacra, na primeira sexta-feira do tempo da Quaresma, como forma de preparação do encontro de jovens de todo o mundo com o Papa. No dia 4 de Agosto, o Parque Eduardo VII, será o local onde vai decorrer a Via Sacra da Jornada Mundial da Juventude.
No arciprestado Guarda/Manteigas, a organização da Via-Sacra esteve a cargo do COA – Comité Organizador Arciprestal em colaboração com a Paróquia de S. Miguel (Guarda). A encenação das 14 Estações da Via- Sacra contou com a participação dos jovens da catequese, essencialmente do 9º ano.
A Via-Sacra foi presidida pelo pároco de São Miguel, Padre Henrique Santos, que convidou todos os presentes a fazerem o caminho de Jesus até ao Calvário e, à semelhança dos discípulos de Emaús, a serem anunciadores da Ressurreição.
A Via-Sacra dos Jovens, no arciprestado Guarda Manteigas, foi aberta a toda a população e contou com grande número de pessoas.

Notícias Relacionadas