Diocese da Guarda assinalou jubileu de ordenação sacerdotal de seis padres

Na Missa Crismal de Quinta-feira Santa

A diocese da Guarda assinalou, na Missa Crismal, em Quinta-feira Santa, 28 de Março, o jubileu de ordenação dos padres José Luís Farinha e Rafael Mourão (25 anos), António Brás Carreto, António Carlos Dias Gama e Fernando Brito (65 anos) e José Coelho (75 anos).
O Padre José Soares Coelho cumpriu, esta terça-feira, dia 2 de Abril, 75 anos de Padre.
Ordenado pelo Bispo D. Domingos da Silva Gonçalves, exerceu o Ministério sempre entre os concelhos de Gouveia e Seia, com forte ligação ao seminário dos Missionários de S. João Baptista, onde exerceu funções docentes. “Esta acção de graças é reforçada pelos 100 anos de vida que o Reverendo Padre Coelho celebrou, no passado dia 2 do mês de Março”, disse D. Manuel Felício.
O padre Fernando Brito, que cumpre 65 anos de ordenação, actualmente Pároco da Paróquia da Conceição, na Covilhã, tem na sua importante folha de serviços prestados à Igreja, além de outros, a responsabilidade da pastoral Juvenil Diocesana, o acompanhamento da Pastoral Operária, a docência no ensino público e as funções de Pároco que continua a exercer.
O padre António Carlos Dias Gama, que também faz 65 anos de ordenação, é capelão da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia do Fundão. Foi docente nas escolas públicas e Pároco e continua prestar valiosos serviços pastorais, cooperando com os Párocos da zona do Fundão.
O padre António Brás Carreto, actualmente a residir na Casa Sacerdotal do Patriarcado de Lisboa, está ao serviço desta Diocese Patriarcal desde o ano de 1976. Os três sacerdotes que fazem 65 anos de ordenação foram ordenados por D. Domingos da Silva Gonçalves.
O padre José Luís Farinha foi ordenado por D. António dos Santos, na Sé da Guarda, em 27 de Junho de 1999 e integrou, a partir do ano seguinte, a equipa formadora do Seminário Maior.
De 2004 a 2011 fez experiência de vida religiosa num mosteiro de vida contemplativa.
Regressou á Diocese, tendo exercido até agora responsabilidades de Pároco, primeiro, no concelho do Fundão e agora, nos da Covilhã e de Belmonte. É membro da Comissão Promotora do novo órgão de tubos da Sé da Guarda, estando a acompanhar muito de perto os trabalhos da construção.
O padre Rafael Morão, jesuíta, foi ordenado, na Covilhã, por D. António dos Santos, em 3 de Julho de 1999. Para trás ficava já longo percurso de formação, na Companhia de Jesus, incluindo a licenciatura em Direito Civil na Universidade Católica (Lisboa), formação essa que haveria de completar com a componente do Direito Canónico, mais tarde, na Universidade Gregoriana de Roma. Para depois ficaram os últimos votos de Profissão Religiosa, com integração definitiva na Companhia de Jesus, no ano de 2006. Foi Reitor da Igreja de S. Roque e Capelão da Santa casa da Misericórdia de Lisboa. Desde 2014 exerce o Ministério na Covilhã, agora como Capelão do Hospital Pero da Covilhã e desde 2023.
“Associamo-nos à especial acção de graças destes sacerdotes que celebram datas jubilares e confiamos à especial oração do Povo de Deus o Ministério Sacerdotal de todos os nossos Padres, pois saber renunciar a si mesmo e viver inteiramente para serviço da Igreja, suas comunidades e serviços, à maneira do único Bom Pastor, é atitude absolutamente necessária, que supera as nossas forças humanas; mas com a graça de Cristo vamos lá chegar”, disse D. Manuel Felício na homília da Missa Crismal.

Notícias Relacionadas