Dedicação da Catedral e Dia Mundial das Missões

No próximo Domingo, 22 de Outubro

Dedicação da Catedral – Celebramos, no próximo domingo, dia 22 de outubro a solenidade da Dedicação da nossa Catedral. Vamos viver mais uma vez momento alto na vida da Diocese, este ano com possibilidade de lhe darmos maior expressão, pelo facto de coincidir com o domingo.
Os cinco séculos de história que a Catedral da Guarda transporta consigo remetem-nos para a vida multisecular desta Diocese, das suas comunidades e instituições e sobretudo animam-nos a prosseguir no cumprimento da missão evangelizadora de que somos herdeiros e continuadores.
Este ano, a Solenidade da Dedicação da Catedral para além de coincidir com o domingo, acontece quando decorre, em Roma, um sínodo sobre a sinodalidade e quando nós iniciamos um programa pastoral diocesano que pretende envolver-nos na caminhada conjunta rumo a uma Igreja sinodal.
Já confiámos este ano pastoral à proteção maternal de Nossa Senhora, com a peregrinação diocesana a Fátima e também estamos a procurar apresentá-lo nos arciprestados para ser levado a cada uma das suas comunidades. Ora, nesta celebração solene da Dedicação da Catedral, no dia 22 de outubro, em sintonia com o Sínodo que decorre em Roma, sobre a sinodalidade, queremos pedir ao Senhor uma bênção especial para que o nosso caminho seja cada vez mais o caminho da Igreja e sobretudo seja o caminho de Jesus, ao serviço do mundo concreto que Ele nos manda evangelizar.
Com esta primeira intenção, celebraremos a Eucaristia, na Sé, às 18.00 horas.
Dia Mundial das Missões – O próximo domingo é também o Dia Mundial das Missões. Na sua mensagem para este dia, o Papa Francisco remete-nos, mais uma vez, para os discípulos de Emaús e convida-nos a encontrar nesta passagem bíblica a fonte e a força inspiradoras da missão.
Assim como aos discípulos fez arder o coração a proclamação da Palavra por aquele Companheiro de viagem, ainda que desconhecido, também a nós a escuta da Palavra nos há-de motivar-nos para a saída missionária. Por sua vez, a Eucaristia é a fonte e o ápice da missão, na medida em que nos fortalece na alegria de proclamar Cristo Ressuscitado e o “ite missa est” do final da Missa não é mais do que lembrar a obrigação de meter pés ao caminho e partir em missão.
A missão também é partilhar com aqueles que vivem situações de anúncio do Evangelho especialmente necessitadas de meios materiais. Por isso, os ofertórios do próximo domingo revertem a favor das missões.
16.10.2023
+Manuel da Rocha Felício, Bispo da Guarda

Notícias Relacionadas