Bispo da Guarda satisfeito com o resultado das jornadas de formação

Dioceses do Centro

O Bispo da Guarda disse que as Jornadas de Formação do Clero das Dioceses do Centro, que decorreram em Fátima, tiveram “um efeito muito bom”, para além daquilo que eram as suas expectativas. Em declarações ao Jornal A GUARDA, D. Manuel Felício explicou que “os assuntos tratados, a forma como foram tratados, a abertura de horizonte novos, sobretudo a mobilização das comunidades para uma atitude nova diante da evangelização, são factores que nós precisamos de interiorizar”.
O Bispo da Guarda constatou que a Diocese da Guarda esteve presente “com um grupo pequeno de representantes”, mas espera que “seja um fermento que leve a todos esta preocupação por fazer com que as nossas comunidades passem da manutenção para a pró actividade no sentido de procurarmos caminhos de evangelização em que levamos às pessoas o desejo de viverem e anunciarem o evangelho”. Lembrou a necessidade da “formação dos agentes pastorais, a formação do povo de Deus em geral e, sobretudo, o grande desígnio que as comunidades cristãs têm”.
D. Manuel Felício mostrou desejo de levar esta preocupação aos padres da Diocese da Guarda, mostrando inclusivamente que essa seja a penitência, no sentido positivo, desta Quaresma. E explicou: “Que os assuntos aqui tratados, as propostas feitas, as indicações conhecidas nós as possamos assumir ao longo desta Quaresma como sacerdotes, como diáconos, como comunidades, porque essa terá de ser sempre a nossa mudança, a nossa conversão”.
Em Fátima, deixou um pedido a Nossa Senhora para que “nos ajude a dar esta volta e a aproveitar da melhor maneira mais uma Quaresma que está a bater à porta no sentido de nos renovarmos, renovarmos as nossas comunidades, para sermos um fermento de transformação na sociedade de hoje”.
D. Manuel Felício também destacou o convívio dos padres das várias dioceses “alguns dos quais já fizeram a sua formação conjunta e outros estão agora a encontrar-se”.

Notícias Relacionadas