Bispo da Guarda lembra importância de viver a Eucaristia “segundo o domingo”

Quinta-feira Santa – Missa da Ceia do Senhor

Na Missa da Ceia do Senhor, na Quinta-feira S6 de Abril, o Bispo da Guarda disse que a espiritualidade dos sacerdotes “tem de ser eminentemente uma espiritualidade eucarística”.
D. Manuel Felício lembrou que “todo o Povo Cristão vive da Eucaristia, principalmente a Eucaristia Dominical”. E acrescentou: “Desde a Igreja primitiva vem-nos a convicção e a prática de que o Domingo é por excelência o dia da Eucaristia. Por isso somos desde então convidados a viver a Eucaristia “segundo o domingo”. Isto quer dizer que como o Domingo lembra a Ressurreição de Cristo no primeiro dia da semana, também a Eucaristia torna presente o dinamismo de Cristo Ressuscitado e aplica-o à transformação do mundo, a começar pela vida das comunidades que a celebram. Ela é, de facto, a novidade radical trazida por Jesus e o Domingo está sempre ligado a essa novidade mesmo quando não é possível celebrar a Eucaristia. É por isso que, quando não há Eucaristia, continua a obrigação de celebrar o Domingo, quer com a assembleia reunida sob presidência de um diácono ou mesmo outro ministro devidamente preparado e mandatado, como é o caso dos coordenadores das assembleias dominicais na ausência do Presbítero”.
Falou da “importância da Adoração Eucarística e do próprio Sacrário” nas Igrejas, com forte implantação na vida das comunidades, lembrando o “Lausperene” com distribuição e dias marcados por todas as paróquias da Diocese, ao longo do ano.
“Louvemos o Senhor e peçamos a graça de fazer da Eucaristia em que participamos, sobretudo ao Domingo, a grande força de renovação da nossa vida pessoal e das nossas comunidades”, concluiu D. Manuel Felício.

Notícias Relacionadas