Chuva adicionou espetáculo ao arranque do Campeonato de Portugal de Ralicross e Kartcross

O Campeonato de Portugal de Ralicross e Kartcross conheceu a primeira prova de 2023 no Circuito de Montalegre.

A chuva destacou-se como o elemento que veio apimentar um espetáculo sempre emocionante. A pista ficou muito enlameada e, claro, escorregadia provocando valentes atravessadelas mais ou menos controladas pelos pilotos.
Especialmente durante a manhã, para as Qualificações 2 e 3, a chuva foi marcante e as várias categorias foram afetadas. No bom sentido, pois o público presente não desarmou face à intempérie e recebeu de volta um espetáculo inesquecível.
A chuva acabou por parar e, depois do almoço, Meias-Finais e Finais foram realizadas com piso húmido, mas a secar. Melhoraram as performances e, claro, os tempos.
Adão Pinto começou a época como terminou, ou seja, a vencer nas 2RM. Com uma final muito disputada, o campeão nacional em título começou a época de 2023determinado a revalidar o título.
Com um fim-de-semana muito consistente e uma condução assertiva nas diversas condições climatéricas, foi com naturalidade que Adão Pinto assinou a pole para o arranque da final da categoria. Sem percalços e sempre na liderança Adão levou o seu Opel Astra ao lugar cimeiro do pódio
O Suzuki Swift de Bruno Ferreira ficou no segundo lugar exibindo grande consistência nesta primeira prova do Campeonato, sendo o primeiro da divisão 1. A fechar o pódio ficou Manuel Pinto (Peugeot 206) segundo da divisão 1.
Partida espetacular nos Super 1600 com Sérgio Dias (Renault Twingo), a sair da pole, mas a cair de imediato para a quarta posição na travagem do pelotão para a curva um. Quem aproveitou de imediato foi Mário Barbosa. Depois de um fim-de-semana de prestações pouco consistentes, que lhe valeram a saída da última linha da grelha, Mário Barbosa protagonizou um arranque canhão e uma travagem muito bem medida, permitindo saltar para a liderança onde permaneceu até à bandeira axadrezada. Barbosa mostrou o porquê de ser o Campeão em título.
No segundo lugar ficou André Sousa (Audi A1), com uma prestação consistente tendo escalado o o 5º lugar da grelha de partida até ao lugar intermédio do pódio. Jorge Machado (Citroen C2) ficou em terceiro e o homem da “pole position”, Sérgio Dias, não foi alem do quarto lugar.
José Oliveira, campeão em título da categoria SuperCar, foi o único da sua classe a alinhar em Montalegre. Oliveira cumpriu as qualificações, meia-final e final sempre num ritmo muito competitivo e bastante virado para o espetáculo. Sem oposição, o campeão nacional de 2022 limitou-se a dar espetáculo e a recolher os pontos da vitória.
A encerrar este primeiro fim-de-semana do Campeonato de Portugal de Ralicross e Kartcross, disputou-se a final do Kartcross com dez máquinas, verdadeiramente infernais, a alinhar na grelha. O que se passou a seguir foi uma verdadeira luta sem quartel.
Pedro Rosário dominou de fio a pavio, mas sempre com a concorrência perto dos escapes do Semog. Partindo da pole, Rosário fez as 7 voltas ao Circuito Internacional de Montalegre sempre na companhia de Luís Almeida (LBS RX01) e João Medina (Semog Bravo), terndo sido esta a classificação final da corrida.
Fora da luta pelos primeiros lugares ficaram Alcides Calçada, Sérgio Castro e Pedro Marques que se viram obrigados a abandonar a Final após uma carambola conjunta na curva 1.
Uma última nota para Alexandre Borges (vice-campeão em título), que ao longo do fim-de-semana se perfilhou como um potencial vencedor desta primeira prova do campeonato, mas um aparatoso acidente na última curva do circuito durante a sua manga na Qualificação 3 deixou o Planet Kartcross parcialmente destruído e algumas mazelas físicas, sem gravidade.
O Campeonato Portugal de Ralicross e Kartcross cumpre a segunda jornada em Mação nos dias 20 e 21 de Maio.

Notícias Relacionadas