Prémio Literário Padre José Júlio Esteves Pinheiro quer incentivar a produção literária

Iniciativa da Fundação Família Luzia Esteves Pinheiro

Homenagear a vida e obra do Padre José Júlio Esteves Pinheiro e incentivar a produção literária, são os principais objectivos do Prémio Literário Padre José Júlio Esteves Pinheiro, que foi apresentado no dia 22 de Março, na sede da junta de freguesia de Malhada Sorda, concelho de Almeida. De acordo com o regulamento este Prémio pretende “contribuir para a defesa e o enriquecimento das línguas portuguesa e francesa, potenciando e aumentando o interesse pela escrita, e pela leitura, elevando ao mesmo tempo os padrões de cultura de toda a sociedade, que se pretende esclarecida e interventiva”.
Com periodicidade anual, a primeira edição do Prémio Literário Padre José Júlio Esteves Pinheiro tem como tema “A Emigração”. O prazo do concurso decorre entre 1 de Maio e 31 de Julho de 2024.
O Prémio possibilita a participação dos portugueses da diáspora com textos em francês. A presidente da Fundação, Maria da Conceição Raposo disse que o Prémio “é uma homenagem ao padre José Júlio, à população de Malhada Sorda, à diáspora e ao concelho de Almeida”.
Na apresentação do Prémio, o historiador José Calado, que colaborou na organização do acervo documental do padre José Júlio Esteves Pinheiro doado à Biblioteca Municipal Maria Natércia Ruivo, em Almeida, com 22 mil volumes, referiu que o objectivo do prémio é “dar mérito e destaque à personalidade, mas também voltar a pôr Malhada Sorda no mapa, reconhecendo a importância do interior do país”. E acrescentou: “É uma oportunidade única para divulgar o nosso património”, pois “o prémio vai ter repercussão internacional”.
O Prémio Literário Padre José Júlio Esteves Pinheiro trem a colaboração da Câmara Municipal de Almeida e da Junta de Freguesia de Malhada Sorda.
António Machado, presidente da Câmara Municipal de Almeida, destacou a importância do Prémio que considerou “uma boa iniciativa que traz valor ao nosso território”.
Apontado como “verdadeiro embaixador da Malhada Sorda”, o padre José Júlio Pinheiro destacou-se pelas suas “preocupações culturais”.
A Visão da Fundação está intrinsecamente ligada à valorização, promoção e divulgação do vasto património, especialmente da freguesia de Malhada Sorda e de todo o concelho de Almeida.

Notícias Relacionadas