Júlio Cunha é um dos convidados para “la journée de l’estampe contemporaine 2022”

Pintor e gravador é natural da Guarda

O pintor e gravador português, Júlio Cunha, natural da Guarda, foi convidado a expor as suas últimas gravuras na “la journée de l’estampe contemporaine 2022” que se realiza nos dias 13 e 14 de Junho, na Place Saint-Sulpice, em Paris, stand 402.
O Ministério da Cultura Francês está a organizar ao longo deste ano 2022, um programa França/Portugal.
Estas jornadas contam com mais de 300 participantes. Este evento anual, que marca o Paris artístico, foi criado em 2010, aos pés da famosa paróquia parisiense de Saint-Sulpice. Com um ambiente de mercado, muitos artistas – franceses ou estrangeiros –, associações, têm a oportunidade de expor o seu trabalho. Este salão de arte ao ar livre é um resumo da situação actual da gravura contemporânea.
Júlio Cunha nasceu em 1964, na Guarda (Portugal), vive e trabalha em Amarante. O pintor e gravador natural da Guarda já realizou exposições individuais na Figueira da Foz (Galeria Rastro), Cerveira (Galeria Cervo), Porto (Galeria Alvarez), Galeria do Teatro Municipal da Guarda, Salamanca- Espanha (Casa de las Conchas), Amarante (Museu Municipal Amadeo de Sousa Cardoso).
Participou em exposições colectivas em Portugal, Espanha, França, Brasil, Japão, Suíça, Holanda, etc.

Notícias Relacionadas