CineEco conta com filmes sobre os fogos e a preservação da floresta

Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela

Entre 13 e 20 de Outubro decorre em Seia o CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, com filmes sobre os fogos e a preservação da floresta. Mais de 80 filmes ocupam os dois Auditórios da Casa da Cultura de Seia, numa programação que incluí ainda workshops, concertos e conversas em torno de temas que marcam o ambiente e o planeta. A grande novidade deste ano será ainda o 1º Fórum Internacional de Festivais de Cinema Ambiental, uma iniciativa que pretende discutir a importância do cinema e dos festivais de temática ambiental para a valorização do tema.
A par das secções competitivas, o CineEco Seia integrará ainda duas sessões dedicadas aos mais novos; uma conversa liderada por Fernanda Botelho sobre a viagem das plantas e seus usos tradicionais em Portugal e nos vários países da lusofonia; um concerto para Olhos Vendados, orquestrado por Luís Antero, workshops e ciclos expositivos.
São sete os filmes que se centram na discussão das questões ambientais e que afectam a área de proximidade do festival, que vão encerrar a 24º edição do CineEco. Recorde-se que esta Região ficou marcada pelos incêndios dos últimos anos, e que levaram mesmo à suspensão temporária do CineEco após os trágicos acontecimentos de Outubro de 2017. À edição deste ano, na categoria Lusofonia: Panorama Regional, concorrem filmes cuja temática fulcral está centrada, precisamente, nos fogos e na preservação da floresta.
Trazendo para o primeiro plano a produção de documentários ligados ao território, a selecção deste ano do CineEco Seia contará assim com “15 Memórias do Fogo”, de Rodrigo Oliveira e Tiago Cerveira, um olhar sobre o fogo de 15 de Outubro de 2017 no centro do país; “Cinzas ao vento”, de Paulo Fajardo, que retoma também as questões levantadas pelos incêndios florestais de 2017; “E tudo o fogo levou”, de Paulo Leitão, igualmente um filme sobre o impacto da catástrofe em Oliveira do Hospital. Outros temas são abordados em “Hoje, aqui e agora”, de Luís Antero e Tiago Cerveira, dois artistas que se têm dedicado a documentar o tempo, os sons e as imagens das Beiras; “Sentir a Estrela”, de Tony Correia, uma viagem à Serra da Estrela, uma das mais emblemáticas serras do país; “Sonho Perfeito”, de Gabriel Ambrósio, num olhar sobre a água e a importância dos rios para as comunidades a eles ligadas ou “Floresta Eterna”, de Evgenia Emets, que reflecte sobre assuntos como o desmatamento e a relação de Portugal com as suas florestas.
O CineEco 2018 é organizado pelo Município de Seia e cumpre, este ano, a 24ª edição. É um dos festivais de cinema de ambiente mais antigos do mundo e membro fundador e da direcção da Green Film Network, uma plataforma de 40 festivais de cinema ambiental.

Notícias Relacionadas