Tenente-coronel Pedro Gonçalves é o novo comandante do Comando Territorial da Guarda

Cerimónia de tomada de posse decorreu no Parque Urbano do Rio Diz

O Tenente-coronel Pedro Gonçalves é o novo Comandante do Comando Territorial da Guarda, substituindo no cargo o Tenente-coronel Cunha Rasteiro.
A Cerimónia decorreu no dia 9 de Dezembro, no Parque Urbano do Rio Diz e foi presidida pelo Comandante-Geral da Guarda Nacional Republicana, Tenente-general José Manuel dos Santos Correia.
O tenente-coronel Pedro Emanuel de Jesus Gonçalves tomou posse, como novo comandante do Comando Territorial da Guarda, no dia 9 de Dezembro, numa cerimónia que decorreu no Parque Urbano do Rio Diz, na Guarda. A cerimónia foi presidida pelo Comandante-Geral da Guarda Nacional Republicana, Tenente-general José Manuel dos Santos Correia.
“É grande e pesada a herança que hoje recebo, ao suceder-vos nas funções de Comandante do Comando Territorial da Guarda”, disse no discurso de tomada de posse quando se dirigiu aos antigos Comandantes do Comando e do Grupo Territorial da Guarda.
Pedro Gonçalves lembrou que que “quem não reconhece o passado, não pode, em circunstância alguma, estar tranquilo com o presente e, por via disso, projectar o futuro”. E acrescentou: “Espero estar à altura de tamanho legado e do elevado estatuto que soubestes granjear e enriquecer”.
Destacou o papel do comandante antecessor, Cunha Rasteiro, pela “irrepreensível conduta e vastas qualidades e virtudes profissionais e humanas”, reconhecendo que “sempre procurou ser um verdadeiro e inestimável embaixador da Guarda Nacional Republicana e do distrito, em território nacional e além-fronteiras”.
Lembrou o desempenho dos diversos e exigentes cargos que foram sendo atribuídos a Cunha Rasteiro, “ao longo de 33 anos ao serviço da causa pública, com destaque para a forma distinta e irrepreensível como liderou e comandou os destinos da Unidade nos últimos 6 anos”.
Pedro Gonçalves vai comandar uma Unidade, “organizada em quatro Destacamentos Territoriais, um Destacamento de Trânsito, um Destacamento de Intervenção, vinte e cinco Postos Territoriais e um Centro de Cooperação Policial e Aduaneira”. A Unidade da Guarda “tem um efectivo de 655 militares e civis, apoiados por 182 viaturas e dispersos por 25 quartéis, com a responsabilidade do policiamento, segurança e tranquilidade de mais de 113.000 habitantes, dispersos por cerca de 5.460 km2 de área de responsabilidade”, e está “num distrito com 14 concelhos, 242 freguesias e pertencente a 3 NUT, onde se encontra inserido um dos mais importantes parques naturais, o da Serra da Estrela; atravessado por alguns dos principais eixos rodoviários e ferroviários do país, e com uma das mais importantes fronteiras terrestres, a de Vilar Formoso; e com características próprias de um território de baixa densidade populacional e envelhecido”. Perante estes dados, Pedro Gonçalves considera que a missão, que agora lhe foi atribuída será “difícil e desafiante”.
O tenente-coronel Pedro Emanuel de Jesus Gonçalves é natural do concelho da Guarda, tendo nascido no dia 14 de Abril de 1978. É licenciado em Ciências Militares pela Academia Militar, na especialidade de segurança (GNR), possui uma pós-graduação em Ciências Militares e Policiais pelo Instituto de Estudos Superiores Militares e uma pós-graduação em Direito e Segurança pela Faculdade de Direito de Lisboa.
Ingressou no quadro permanente da Guarda Nacional Republicana em 2000 e actualmente desempenhava as funções de 2.º Comandante do Comando Territorial da Guarda, sucedendo no cargo de Comandante ao Coronel Cunha Rasteiro.

Notícias Relacionadas