Sérgio Costa pede tréguas a “todos os agentes de saúde”

Câmara da Guarda preocupada com a situação do Serviço Nacional de Saúde

“É com muita preocupação que temos acompanhado a situação do Serviço Nacional de saúde do País e, muito especialmente, no distrito e concelho da Guarda”, disse o presidente da Câmara da Guarda no final da reunião desta segunda-feira, 9 de Outubro. Sérgio Costa pediu tréguas “a todos os agentes da saúde” e sugeriu que se sentem à mesa e dialoguem “para que a saúde dos cidadãos do nosso território do interior não seja colocada mais em causa”.
“A saúde no Interior não pode ser uma saúde em que as urgências estejam sempre na corda bamba”, considerou Sérgio Costa, para quem, “os responsáveis da saúde e os nossos médicos, tudo fizeram, nos últimos dias, para que as urgências não fechassem”.
O autarca lembrou que “estivemos à beira de fechar umas urgências que servem quase 150 mil portugueses. Adiantou que, apesar do Serviço Nacional de Saúde funcionar em rede, “não se pode continuar com a prática das transferências” para outros hospitais fora do distrito da Guarda, “sobrecarregando outros hospitais”.
Disse que “as transferências de doentes não podem tornar-se prática comum na saúde da Guarda”. E acrescentou: “É todo um distrito de Portugal Continental que não tem capacidade de ter uma urgência médico-cirúrgica que está no fio da navalha, um verdadeiro bisturi em termos de médicos internistas”.
Na declaração, Sérgio Costa adiantou que “os municípios do nosso distrito estão seriamente preocupados” e daí lançarem o apelo a todos os agentes de saúde para que façam tréguas, se sentem, dialoguem, e encontrem soluções.
Sobre esta declaração, Sérgio Costa disse que a vereadora do PS “reviu-se nesta declaração pública”, ao passo que os vereadores do PSD “nada referiram sobre esta matéria”.
Recorde-se que o serviço de Urgência do Hospital da Guarda tem vindo a funcionar de forma condicionada aos feriados e fins-de-semana devido à indisponibilidade dos médicos em fazer mais horas extraordinárias.
Em comunicado, a Unidade Local de Saúde da Guarda explicou que “o Serviço de Urgência do Hospital Sousa Martins vai estar aberto 24 horas”, mas “devido ao constrangimento causado pela indisponibilidade apresentada pelos médicos, o funcionamento será condicionado nos feriados e fins-de-semana”.
Devido a esta situação, A Unidade Local de Saúde da Guarda pediu à população “a maior compreensão e que recorra sempre que possível aos serviços disponibilizados pelos Centros de Saúde da área de residência”.
A Unidade Local de Saúde da Guarda lembrou que “à Urgência só quem é urgente”.

Notícias Relacionadas