Santa Casa da Misericórdia promoveu discussão sobre Demência e o Cuidador Informal

Iniciativa juntou mais de 150 pessoas na Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia

“Intervenção na Demência e no Cuidador Informal” foi o tema do simpósio organizado pela Santa Casa da Misericórdia de Seia, onde demonstrou a sua visão diferenciadora, no sentido de implementar e investir na oferta de um serviço multidisciplinar, numa área específica e particularmente necessária na sociedade em que vivemos, que é a demência.
Durante o simpósio que decorreu na Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia e juntou mais de 150 participantes, foram discutidos temas como “Diagnóstico de Demência: Desafios e Soluções”, “Ser Cuidador Informal na Demência”, “Serviços Especializados de Intervenção na Demência: Realidade e Futuro” que teve como principais intervenientes Sofia Caetano (Médica Psiquiatra), Manuel Caldas de Almeida (Médico Medicina Geral e Familiar), Ana Rita Sousa e Silva (Neuropsicóloga), Sara Campos (Médica Medicina Geral e Familiar), Clara Ramos (Coordenadora i3social), Alexandra Neves (Portugal Inovação Social), Isabel Seixas (Médica-Coordenadora CIDIFAD) e Salazar Coimbra (Administrador Delegado da SCM Riba d’Ave).
Para além disto, a equipa do serviço especializado em demência da Santa Casa da Misericórdia de Seia – Iniciativa VAMOS – moderou o painel “Iniciativa VAMOS: A importância do Serviço Multidisciplinar Especializado”, apresentando as principais conclusões do trabalho desenvolvido no projecto ao longo dos últimos 3 anos.
As conclusões salientam o impacto positivo e significativo na pessoa com demência e nos seus cuidadores, com especial destaque para a percepção de qualidade de vida; o impacto positivo no cuidador informal, sobretudo na percepção da doença do seu familiar, na sua compreensão, evolução e estratégias para lidar com as suas especificidades e mudanças; em 50% ou mais da amostra revelaram melhoria na Linguagem e Capacidade Visual-construtiva, Funções executivas e Atenção/Concentração/Memória de Trabalho. O Projecto mostrou-se eficaz na redução das Manifestações Neuropsiquiátricas e as Alterações Neurovegetativas, contudo as últimas apresentaram uma melhoria muito relevante.
A abordagem multidisciplinar periódica permitiu melhorar o perfil cognitivo e consequentemente adiar o declínio associado ao processo neurodegenerativo e, por outro lado, impacto positivo na pessoa com demência, através da melhoria de sintomas comportamentais e cognitivos, contribuindo para a estabilização da manifestação da doença.
Na sessão de encerramento, o Provedor Paulo Caetano salientou, na presença da Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, que o trabalho desenvolvido pela Misericórdia de Seia tem de ser incentivado pelo Estado e replicado junto das outras Instituições do sector social. A Secretária de Estado mostrou o seu regozijo, valorizando o trabalho desenvolvido e as conclusões, deixando a menção que visitará, oportunamente, o projecto in loco, na Santa Casa da Misericórdia de Seia.

Notícias Relacionadas