Politécnico da Guarda integra rede nacional de resposta a incidentes informáticos

Objectivo passa por aumentar
a cibersegurança em Portugal

O IPG – Instituto Politécnico da Guarda passou a integrar o CSIRT – Centro de Resposta a Incidentes de Segurança, uma rede nacional de resolução de problemas informáticos.
A rede nacional CSIRT tem como objectivo aumentar a cibersegurança em Portugal ao proporcionar a cooperação entre os responsáveis nacionais pela segurança informática.
CSIRT, que integra 59 associados, tem como missão desenvolver os instrumentos necessários para prevenir e responder rapidamente a incidentes nas redes e nas bases de dados. Visa também criar indicadores e informação estatística nacional sobre incidentes de segurança, com vista a uma melhor identificação de contramedidas pró-activas e reactivas.
Joaquim Brigas, presidente do IPG, explica que “a segurança informática é uma área estratégica para o Politécnico da Guarda, razão pela qual tem criado novas ofertas lectivas e estabelecido parcerias com empresas nacionais e multinacionais de referência no sector”.
A entrada do IPG no Centro de Resposta a Incidentes de Segurança foi feita através do CSIRT. PolitecnicoGuarda, uma unidade que tem como missão a promoção de uma cultura de segurança nos meios informáticos dentro da sua comunidade académica. É o segundo politécnico do país a entrar nesta rede, depois de Bragança.
Para Pedro Pinto, docente, investigador e responsável pela cibersegurança do IPG, “entrar na rede nacional CSIRT é um importante passo para o IPG, uma vez que esta rede é uma alavanca para a transferência de conhecimentos e para diminuir a vulnerabilidade da sociedade no que diz respeito às ameaças informáticas”.
O Politécnico da Guarda faz também parte da Metared, uma rede colaborativa de Instituições de Ensino Superior Portuguesas para fomentar a transformação digital.

Notícias Relacionadas