“O balanço da nossa equipa de direcção do NERGA é muito positivo uma vez que continuamos a conseguir apresentar soluções às empresas associadas”

Entrevista: Orlando Faísca – presidente da direcção do NERGA – Associação Empresarial da Região da Guarda

 

Orlando Faísca, presidente da direcção do NERGA – Associação Empresarial da Região da Guarda, é natural de Castelo Novo, concelho do Fundão.
Estudou na Engenharia Florestal na UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.
Em 2004 fundou na Guarda a empresa de silvicultura Floresta Bem Cuidada, que está instalada na Plataforma Logística da Guarda.

A GUARDA: Como define o papel do NERGA enquanto promotor de desenvolvimento da actividade empresarial do Distrito da Guarda?

Orlando Faísca: O Nerga tem como objectivo apresentar soluções às nossas empresas para que estas possam criar maior valor para os empresários, para os colaboradores, que são as nossas pessoas, e para a nossa comunidade. Queremos contribuir para melhorar a literacia financeira e de gestão, e aumentar o conhecimento das nossas pessoas. Dotar as empresas de novas ferramentas de gestão e capacitar os colaboradores de novas competências é a chave do sucesso para aumentar a produtividade e a competitividade. Queremos ajudar as empresas da região a prosperarem e assim criarem mais riqueza, contribuindo para aumentar a atractividade de investimento e de novas pessoas.

A GUARDA: De que maneira é que o NERGA defende os interesses das empresas da região?

Orlando Faísca: O Nerga pretende ser um parceiro das empresas actuando ao nível do conhecimento, seja através da capacitação dos recursos humanos, da transferência de conhecimento através de workshops ao nível das obrigações legais bem como das oportunidades de financiamento e de investimento.

A GUARDA: Isso significa que há muitas vantagens em ser associado do NERGA?

Orlando Faísca: Sim, estamos empenhados em criar valor para os associados apresentando soluções ao nível da capacitação das pessoas, dos processos e de projectos de investimento. Priorizamos a informação em primeira mão das oportunidades de investimento e dos diversos apoios disponíveis. Através dos parceiros institucionais que informam das obrigações legais atuamos ao nível da prevenção. Ao participarem nos nossos eventos proporcionamos que os empresários aumentem a sua rede de contactos e a troca de experiências e informações para potencializarem as melhorias dos seus processos e aproveitarem novas oportunidades de mercado. Temos soluções específicas ao nível da transição digital e de actuação em mercados externos.
Através de meios digitais, os associados do Nerga são informados quotidianamente das diversas oportunidades que vão surgindo. Ainda assim reforçamos o nosso contacto presencial, com o intuito de diagnosticar as suas dificuldades, e apresentar soluções adequadas. Em 2023 já realizamos mais de 1400 contactos presenciais a empresas do distrito.

A GUARDA: Quantos associados tem o NERGA e quem pode ser Associado?

Orlando Faísca: O Nerga tem actualmente 450 associados. Nos últimos anos temos estado a crescer em média cerca de 20% ao ano. Em 2023, já contamos com 80 novos sócios, reflexo da elevada dinâmica dos nossos colaboradores e da proposta de valor que apresentamos aos associados.
Qualquer entidade comercial pode ser associado do Nerga.

A GUARDA: Actualmente, quais os principais projectos em que se encontra envolvido o NERGA?

Orlando Faísca: Actualmente estamos envolvidos no apoio às empresas ao nível da transição digital. Pretendemos capacitar através de formação de componentes digitais mais de 900 formandos através do projecto Emprego +Digital.
O Nerga é a sede da Aceleradora de Comércio Digital das Beiras e Serra da Estrela, que tem por principal missão desenvolver os modelos de negócio das empresas do comércio e serviços, bem como incentivar a adopção de tecnologias digitais. Vamos apoiar mais de 400 entidades comerciais do distrito até 2025.
Ainda no sector comercial estamos envolvidos, em consórcio, em projectos dos Bairros Digitais com os Municípios de Almeida, Fornos de Algodres e da Guarda. Pretendemos com esta adesão aumentar a atractividade do nosso comercio tradicional.
O NERGA desenvolve prestação de serviços nos municípios de Almeida, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Guarda, Manteigas e Vila Nova de Foz Côa.
Estamos empenhados na transferência de conhecimento através da realização de workshops nos concelhos do distrito. Em 2023 já realizámos cerca de 50 sessões em parceria com a ACT, ASAE, AICEP, IEFP, Sociedade Portuguesa de Autores, AIP, IAPMEI, CCDRC, Norgarante, etc., na Guarda, Almeida, Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Foz Côa, Mêda, Seia, Gouveia, Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel e Sabugal. É essencial que os empresários e futuros empreendedores estejam informados ao nível das suas obrigações bem como das oportunidades futuras.
Em 2024 iremos ter disponíveis projectos de formação acção, de formação generalizada e de apoio ao início ou alavancagem das exportações.
Continuamos empenhados em reduzir os custos de contexto ao nível das portagens da A23 e A25, onde estamos presentes através da Plataforma P’la Reposição das Scuts.
Apostamos na atracção de pessoas para as empresas, nomeadamente através da realização de estágios de Verão. Numa primeira fase é feito o levantamento das necessidades das empresas e posteriormente, junto das Escolas Profissionais e do Instituto Politécnico da Guarda, divulgamos as ofertas de estágios. Desta forma contribuímos para que os alunos aumentem as suas competências práticas e para que as empresas aumentem a atractividade desses recursos humanos quando eles entrarem no mercado de trabalho.

A GUARDA: Qual o balanço que faz do tempo de presidência do NERGA?

Orlando Faísca: O balanço da nossa equipa de direcção é muito positivo uma vez que continuamos a conseguir apresentar soluções às empresas associadas. Aumentámos o número de associados em mais de 50%, duplicámos as parcerias com os municípios e aumentámos os contactos presenciais em mais de 500%. O melhor indicador financeiro foi a eliminação da nossa dívida. Actualmente pagamos a pronto pagamento aos nossos fornecedores.
Em suma, ao capacitarmos as pessoas de novas competências e com o foco e o rigor necessários, os resultados aparecem naturalmente. Esta Direcção baseia a sua gestão numa política de motivação, empenho e entrega. É nosso objectivo continuar a apresentar mais e melhores resultados de forma sustentada.

A GUARDA: O facto de estar à frente de uma Associação Empresarial, localizada no interior do País, tem alguns constrangimentos ou nem por isso?

Orlando Faísca: Não nos devemos ancorar no facto de estarmos no interior do País, mas sim nas oportunidades que temos e que podemos criar para competir ao mais alto nível com os outros mercados. Com as ferramentas digitais, estamos todos no centro do mundo. Temos de saber desenvolver as competências nucleares das pessoas por forma a aumentarmos a produtividade e a competitividade.

Notícias Relacionadas