Hotel de Turismo da Guarda deve abrir até ao final de 2025

Enatur e Turismo de Portugal assinaram memorando

“Hoje é um dia em que finalmente, a Guarda pode começar a almejar, e mais do que apenas simplesmente apenas sonhar, com a reabertura das portas do nosso Hotel Turismo” disse o presidente da Câmara da Guarda, Sérgio Costa na cerimónia de assinatura de um memorando entre a Enatur e o Turismo de Portugal e de apresentação do modelo para reabilitação do Hotel Turismo, que vai ser integrado na rede de Pousadas de Portugal.
A iniciativa decorreu no dia 20 de Janeiro, na Câmara Municipal da Guarda e contou com a presença do Ministro da Economia e do Mar António Costa Silva), da Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (Ana Mendes Godinho) e do Secretário de estado do Turismo, Comércio e Serviços (Nuno Fazenda).
O ministro da Economia, António Costa Silva, disse que o Hotel Turismo da Guarda, que vai ser integrado na rede de Pousadas de Portugal para reabilitação e exploração, é “uma das jóias” para o desenvolvimento do turismo.
“O Hotel de Turismo da Guarda é uma das jóias da arquitectura portuguesa. É uma das jóias da arquitectura que foi desenvolvida em termos da infra-estrutura para as Pousadas, para o desenvolvimento do turismo, para a atracção da actividade turística”, referiu o governante.
António Costa Silva adiantou que “temos hoje perante nós o dever de honrar e de transfigurar o projecto que o arquitecto Vasco Regaleira deixou, que foi concebido em 1936, que existe há 75 anos, que serviu múltiplas gerações na Guarda e no país”.
Considerou que o Hotel de Turismo “é um repositório de histórias, de encontro, de discussões, de definição de políticas e ele, com certeza, vai formatar isso para o futuro” e funcionar como um “dínamo de atracção dos turistas”.
O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Sérgio Costa, disse que “este é o início de um caminho longo, cujo desafio final será abrir as portas ao público, até ao final do ano de 2025”.
Lembrou que “a Guarda é porta de entrada para a Serra da Estrela e da nossa vizinha Espanha”. E acrescentou: “Turisticamente possuímos um enorme potencial que começou finalmente a alavancar com os Passadiços do Mondego, com a monumentalidade do seu vale, cuja beleza e grandiosidade, atrai milhares de turistas de Portugal e do Mundo”.
Para Sérgio Costa “os Trilhos do Noeme e a futura rede de Museus temáticos e outros projectos que estamos a implementar, serão polos de atracção que irão proporcionar experiências únicas e inesquecíveis, aos turistas que nos visitarem”.
O Presidente da Câmara da Guarda referiu ainda que “a Guarda, pela sua ímpar localização estratégica, vai afirmar-se como corredor Atlântico ferroviário e rodoviário na logística de mercadorias e passageiros, estabelecendo uma centralidade na região centro de Portugal e Espanha”. E acrescentou: “É por isso que estamos de forma resiliente e incansável a trabalhar para que, o Porto Seco seja uma realidade, neste ano de 2023”.
Sérgio Costa disse que “as forças políticas, as instituições e os Guardenses, têm a obrigação de ser os principais agentes na divulgação das nossas potencialidades, e de uma vez por todas, falar positivamente da Guarda”.
A ministra do Trabalho e da Solidariedade Social, Ana Mendes Godinho, disse que a integração do Hotel Turismo na rede de Pousadas de Portugal é “a melhor solução” para o imóvel.
O secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Nuno Fazenda referiu que, com a integração do Hotel de Turismo na rede de Pousadas de Portugal, o Governo está a concretizar um projecto “muito importante para a Guarda” e para a região da serra da Estrela.
Rui Mota, presidente do Conselho de Administração da ENATUR, considerou que a solução é a melhor para a requalificação do imóvel e Teresa Monteiro, vice-presidente do Turismo de Portugal, sublinhou que com a integração nas Pousadas de Portugal, a unidade hoteleira “vai ganhar escala”.

Notícias Relacionadas