Diocese da Guarda celebra centenário da fundação da Liga dos Servos de Jesus

Este domingo, na Sé da Guarda

A Liga dos Servos de Jesus, fundada pelo antigo bispo auxiliar da Guarda, D. João de Oliveira Maros, vai assinar o centenário da fundação, este domingo, 18 de Fevereiro, na Sé da Guarda e no Outeiro de S. Miguel. A Missa solene, presidida pelo Bispo da Guarda, D. Manuel Felício está marcada para as 16.00 horas, na Sé da Guarda.
No final da Missa, o programa continua no Outeiro de S. Miguel, com um breve momento musical, que será executado pelas crianças que frequentam as várias valências da instituição.
O programa termina com “uma singela refeição” no espaço do ginásio do Outeiro de S. Miguel.
A Liga dos Servos de Jesus, sediada na cidade da Guarda, foi criada por D. João de Oliveira Matos, no dia 11 de Fevereiro de 1924 e actualmente está presente na Guarda (Santa Luzia, Sequeira, Outeiro de São Miguel, Centro de Acolhimento S. João de Deus, Paço Episcopal, Seminário), Covilhã (Abrigo dos Pequeninos e Centro Cultural e Social), Ruvina, Celorico da Beira, Rochoso, Orca, Cerdeira do Côa, Manteigas, Fundão, Fátima, Figueira da Foz e Kilenda (Angola).
D. João de Oliveira Matos nasceu a 1 de Março de 1879, em Valverde, concelho do Fundão; aos 17 anos fez a admissão ao Seminário da Guarda e concluiu o curso de Teologia, em Julho de 1899, sendo ordenado sacerdote a 28 de Março de 1903 e ordenado bispo a 25 de Julho de 1923. Como bispo auxiliar, depois de ter percorrido as aldeias da Diocese da Guarda, o verificou que havia muitas pessoas com vontade de ajudar e outras com necessidade de serem ajudadas, uma realidade que o inspirou na criação da Liga dos Servos de Jesus.
D. João Oliveira Matos morreu com fama de santidade no dia 29 de Agosto de 1962; o Vaticano publicou no dia 4 de Junho de 2013, o decreto que reconhece as virtudes heróicas.
O processo do fundador da Liga dos Servos de Jesus consta de 23 volumes e foi entregue em Roma, no dia 19 de Maio de 1998, sendo necessário que a Santa Sé comprove a existência de um milagre atribuído à intercessão de D. João de Oliveira Matos para a beatificação.

Notícias Relacionadas