D. Manuel Felício é natural do concelho de Castro Daire

De Viseu para a Guarda

D. Manuel da Rocha Felício é natural da freguesia de Mamouros, concelho de Castro Daire, Viseu. Nasceu a 6 de Novembro de 1947. Frequentou os seminários de Fornos de Algodres e Viseu entre 1960 e 1968 e o Seminário de Cristo-Rei dos Olivais.
Foi ordenado presbítero da Diocese de Viseu em 21 de Outubro de 1973, na Igreja Matriz de Mangualde.
Integrou a equipa sacerdotal da paróquia de Mangualde (de 1973 a 1988); depois, foi na vida académica que empenhou grande parte do seu tempo.
Licenciou-se em Teologia, em 1975, pela Facultade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, com a tese “A Infalibilidade da Igreja ‘in credendo’ na “Lumen Gentium”.
Integrou a equipa sacerdotal da paróquia de Mangualde até 1988.
Na Conferência Episcopal Portuguesa trabalhou no diálogo ecuménico e inter-religioso. Secretário da Comissão Episcopal da Doutrina da Fé desde 1990, foi vice-reitor do Seminário Maior de Viseu até 2001 e professor no pólo de Viseu da UCP e também professor auxiliar da Faculdade de Letras desta mesma universidade, onde é membro efectivo do Conselho Científico.
Foi coordenador do processo da extensão em Viseu do Instituto Universitário de Ciências Religiosas, sediado em Lisboa, e responsável do processo de filiação do Seminário Maior de Viseu na Faculdade de Teologia de Lisboa da Universidade Católica Portuguesa, entre 1992 e 1995, e dois anos depois tornou-se director do Instituto Superior de Teologia das dioceses da Guarda, Lamego e Viseu, que assumiu até 2001.
Completou o doutoramento em Teologia em 2002 na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa com a tese “Portugal e a Definição Dogmática da Infalibilidade Pontifícia: Teologia, Magistério, Debate Público”.
Entre os trabalhos publicados, contam-se “Ecumenismo. In Historia Religiosa de Portugal: Dicionário Temático” (2000), “Universidade Católica Portuguesa – Projecto com Identidade. Para uma leitura crítica dos seus estatutos” (1998), “Diálogo Ecuménico em Portugal. Elementos para a sua história” (1997), e “Para um Modelo Cristão de Desenvolvimento” (1992).
Nomeado por João Paulo II, em Outubro de 2002, Bispo Auxiliar de Lisboa, D, Manuel Felício acompanhou no Patriarcado as Vigararias do Oeste e animou o diálogo inter-religioso, sendo nomeado a 21 de Dezembro de 2004, Bispo Coadjutor da Diocese da Guarda.

Notícias Relacionadas