Câmara vai retomar Plano de Pormenor previsto para as Penhas Douradas

Manteigas

A Câmara Municipal de Manteigas tenciona retomar, a curto prazo, o Plano de Pormenor para as Penhas Douradas, na Serra da Estrela, para criação de uma estância de montanha de qualidade ligada ao desporto, à saúde e à natureza. “O Plano de Pormenor está a aguardar o desenvolvimento do PDM – Plano Director Municipal que tem que estar fechado a 30 de Junho, sob pena de ter que ser adaptado à nova legislação. Logo que haja condições, e que verifiquemos que o PDM está estabilizado, e que tem condições de ser aprovado pela Câmara e pela Assembleia Municipal, temos que avançar rapidamente para o Plano de Pormenor e para as Áreas de Reabilitação Urbana (ARUS)”, disse ao Jornal A Guarda o vice-presidente da Câmara Municipal de Manteigas, José Manuel Saraiva Cardoso. “Estamos cansados de dizer que é um sítio único no país que pode chamar-se verdadeiramente estância de montanha e com equilíbrio ambiental. O PDM já transporta um espaço para a definição do Plano de Pormenor e avançará, de seguida, a criação de uma Aldeia de Montanha com a vertente turística com as diversas valências de turismo de Natureza, Desporto e Aventura”, acrescentou. O Plano de Pormenor para as Penhas Douradas, já elaborado pela autarquia, contempla, entre outros aspectos, a criação de um transporte mecânico (telecabina ou similar) entre Manteigas e as Penhas Douradas, a criação de espaços públicos polivalentes, de um Centro de Treino de Alto Rendimento, de um Hotel de 4 estrelas, de um SPA e de uma zona de chaletes, entre outras valências. “As ideias estão consolidadas e trabalhadas”, disse José Manuel Saraiva Cardoso.
A Câmara de Manteigas continua a apostar na vertente turística em várias frentes e na execução de projectos que contribuam para a atracção de turistas até ao concelho. No âmbito da reprogramação dos projectos aprovados por fundos comunitários, a autarquia está a dedicar atenção ao projecto da Fábrica do Rio, para onde está previsto um Centro de Demonstração de Energias Renováveis e onde já foi construída uma mini-hídrica. “Neste momento, estamos a reprogramar, no sentido de fazer arranjos exteriores, criar um parque de botânica a acompanhar o rio e instalar conteúdos de energias renováveis como painéis solares, eólicas, aquisição de carros e bicicletas eléctricas em pequenas quantidades”, disse o vice-presidente que tem o Pelouro do Turismo. Nas traseiras do edifício, segundo José Manuel Saraiva Cardoso, estão a ser feitas obras de construção civil, no valor de 150 mil euros, para instalar o Museu da Lã e da Neve. “Já temos o programa de conteúdos, mas não temos financiamento”, acrescentou.
O autarca lembrou ainda que a Pousada de São Lourenço, afecta à ENATUR (Empresa Nacional de Turismo) e ao Grupo Pestana, foi adquirida recentemente pelo grupo empresarial ligado à Casa das Penhas Douradas e à empresa Burel Factory. “Já nos foi apresentada uma maqueta da intervenção que vai qualificar aquela infra-estrutura. Perspectiva-se que daqui a um ano possa reabrir ao público, criando mais de duas dezenas de postos de trabalho”, referiu. Adiantou que o INATEL também já abriu concurso para obras de melhoria das instalações e da ligação da cobertura do Hotel às Termas, estando as mesmas em fase de arranque.
Em matéria de acessibilidades, o vice-presidente da Câmara de Manteigas mostra-se descontente com a intervenção que a Estradas de Portugal vai fazer na Estrada Regional 338. A obra já foi adjudicada a uma empresa da Guarda, por 1 milhão de euros, salientando que a estrada “continua a não ter a possibilidade de fazer o cruzamento de dois veículos pesados, o que é de todo lamentável”. “Entendemos que possa ser uma 1.ª fase da intervenção e que os trabalhos não fiquem por esta mera operação de cosmética”, concluiu.

Notícias Relacionadas