Câmara da Guarda apoiou IPSS’s com quase meio milhão de euros para novos projectos

Sérgio Costa considera Economia Social como “um eixo prioritário”

“Estamos a construir um concelho de referência no sector da Economia Social e contribuímos para que as nossas IPSS’s sejam um exemplo de excelência” disse Sérgio Costa na sessão de lançamento do Centro para a Economia e Inovação Social, que decorreu na Guarda no dia 14 de Abril.
O Presidente da Câmara da Guarda explicou que a Câmara Municipal assumiu a Economia Social como “um eixo prioritário” da gestão autárquica, promovendo a activação da economia e dotando de todas as condições as Instituições Particulares de Solidariedade Social, desenvolvendo uma verdadeira Economia Social no Concelho, na era pós pandemia.
“Estamos empenhados em criar emprego e fixar pessoas no nosso território, aumentando o nível de competências dos nossos recursos humanos, também no sector social” referiu Sérgio Costa.
O autarca lembrou que a Câmara da Guarda apoiou as IPSS´s do concelho, com um envelope financeiro de mais de cerca de meio milhão de euros (499.322 euros) em apenas 1 ano, na comparticipação do valor de novos projectos que “podem significar a criação de mais de 200 novos empregos, num investimento de perto de 20 milhões de euros, com a aprovação de todas as candidaturas efectuadas ao PRR”.
Sérgio Costa disse que “a Câmara Municipal da Guarda assumiu, com este enorme esforço financeiro do seu próprio orçamento, a ajuda ao papel fundamental do movimento associativo social, apoiando financeiramente as IPSS’s no desenvolvimento do seu trabalho de extrema relevância e de verdadeiro serviço público, que merece reconhecimento e meios financeiros suficientes, para realizar as suas actividades e atingir os seus objectivos”.
E acrescentou: “A Câmara Municipal da Guarda fez o seu trabalho de casa, em estreita parceria com as IPSS’s do seu Concelho”.
Sérgio Costa felicitou o Governo de Portugal e Espanha pela “feliz e acertada escolha” da cidade da Guarda, para a localização do Centro para a Economia e Inovação Social, “reconhecendo a localização estratégica da Guarda, representando uma mais-valia no contexto da Península Ibérica e contribuindo para a valorização do seu HUB do Interior”.
Recordou que a Câmara da Guarda foi a primeira em reconhecer a importância para o sector da Economia Social de Portugal e Espanha, a criação do Centro para a Economia e Inovação Social disponibilizando, desde a primeira hora, as instalações e apoio logístico para a sua sede.
Sérgio Costa considerou que “a criação do Centro para a Economia e Inovação Social é um marco na história da Economia Social de Portugal e Espanha, que merece reconhecimento por toda a sociedade e todas as forças políticas, assumindo uma importância suprapartidária, colocando-se acima de qualquer ideologia política”.

Notícias Relacionadas