Aulas estiveram suspensas em várias escolas do distrito da Guarda

Greve do pessoal não docente

Devido à greve do pessoal não docente das escolas, na sexta-feira, dia 3 de Fevereiro, várias escolas do distrito da Guarda não tiveram aulas. A União dos Sindicatos da Guarda/CGTP-IN emitiu um comunicado onde destacou a “grande adesão à greve do pessoal não docente”. “A massiva adesão à greve do pessoal não docente dos estabelecimentos de educação do ensino público levou ao encerramento de mais de 120 escolas EB e Secundárias nos distritos de Aveiro, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu, e outras tantas com um funcionamento precário atendendo à adesão superior a mais de 80%”, referiu aquela estrutura sindical em comunicado. De acordo com a União dos Sindicatos da Guarda no distrito encerraram o Agrupamento Escolar de Santa Clara (Guarda), a Escola EB23 Guilherme Correia Carvalho (Seia), a Escola EB23 Abranches (Seia), o Agrupamento de Figueira Castelo Rodrigo (escola 1.º Ciclo), o Agrupamento de Almeida/Vilar Formoso, o Agrupamento de Escolas de Pinhel, a Escola EB2 Pinhel, a Escola Secundária de Seia, o Agrupamento Carolina Beatriz Ângelo, o Centro Escolar da Sequeira, a Escola Secundária de Vilar Formoso, e o Agrupamento de Escolas de Celorico Beira, entre outras. “A esta grande adesão juntam-se ainda as largas dezenas de escolas encerradas do 1.º Ciclo de ensino básico e Jardins de Infância. Os trabalhadores não docentes das Escolas ao aderirem massivamente à greve de hoje, demonstraram, mais uma vez ao Ministério da Educação que têm razão quando exigem a reposição de direitos, de carreiras específicas com conteúdos funcionais bem definidos, do estatuto do pessoal não docente, de emprego estável, contra a municipalização e exigem diálogo efectivo para a concretização de medidas válidas”, referiu a União dos Sindicatos.

Notícias Relacionadas