Álvaro Amaro quer reconhecimento de situação catastrófica para o Parque Natural da Serra da Estrela

Encontro decorreu na Quinta da Taberna, em Videmonte, concelho da Guarda

Álvaro Amaro esteve, esta segunda-feira, 5 de Setembro, na Quinta da Taberna, em Videmonte, concelho da Guarda, com autarcas dos concelhos que foram afectados pelos incêndios durante o mês de Agosto, na zona da Serra da Estrela. No encontro, o Eurodeputado disse que vai questionar a Comissão Europeia sobre “a situação catastrófica que diversos territórios europeus vivenciam”.
Preparar um conjunto de iniciativas no âmbito das instituições europeias para minimizar os prejuízos causados pelos incêndios do mês de Agosto, no Parque Natural da Serra da Estrela, foi o propósito do encontro entre o Eurodeputado Álvaro Amaro com os autarcas da região. Estiveram presentes os presidentes dos municípios de Guarda (Sérgio Costa) e de Manteigas (Flávio Massano), o vereador do município da Covilhã (José Oliveira) e o coordenador municipal de protecção civil do município de Gouveia Hugo Teixeira, entre outros responsáveis locais.
O PSD no Parlamento Europeu já anunciou o pedido de um debate com resolução sobre a estratégia comum para combater incêndios e seca.
Álvaro Amaro lembrou que os fogos florestais se abateram “mais uma vez sobre o continente Europeu, particularmente no Sul e Leste europeus” e que por isso vai questionar a Comissão Europeia.
No seguimento dos fenómenos climáticos extremos, o Eurodeputado quer saber se a Comissão Europeia reconhece a “situação catastrófica que diversos territórios europeus vivenciam” devido aos incêndios. Em caso afirmativo, Álvaro Amaro pergunta se a Comissão equaciona “lançar alguma iniciativa específica com carácter de urgência para apoio às regiões afectadas e, numa perspectiva de médio e longo prazo, o lançamento de uma estratégia comum a nível europeu para os fogos florestais e seca”.
Álvaro Amaro lembrou que “de acordo com dados do Sistema Europeu de Informações sobre Incêndios Florestais, até 18 de Agosto cerca de 761.000 hectares foram devastados por incêndios, o que representou o valor mais alto registado, desde que os dados começaram a ser recolhidos em 2006”. E acrescentou: “A área mais atingida pelos incêndios foi a Península Ibérica”.
Álvaro Amaro disse que como deputado europeu, como homem da Serra, queria também juntar a voz para que o País “se mobilize por este património que é o património natural”. Prometeu “incomodar” a Comissão Europeia “até ao limite” em relação à situação dos incêndios e da seca.
O eurodeputado explicou que se associou aos autarcas da Serra da Estrela porque pretende auxiliar no que for necessário, bem como “ajudar o Governo português a que seja célere e eficaz” nas acções de recuperação do território afectado pelas chamas.
Referiu que “há muitas acções que, se não forem feitas nos próximos três a quatro meses, muito se vai perder da fauna e da flora, aqui nesta serra”.
Álvaro Amaro disse que “tem vindo aqui muito Governo e bem”, mas pediu aos autarcas que, na próxima visita, levem os membros do Governo a “ver as devastações”, pois “ não basta estarmos no gabinete”.
Lembrou que “é muito importante que nós consigamos continuar a promover a Serra” e por isso “precisamos da solidariedade de todos e precisamos da eficácia de todos” E acrescentou: “E precisamos que acreditem mais nos autarcas do que em muitas entidades que fazem a gestão deste espaço”.
Depois de ter visitado algumas áreas ardidas nos concelhos de Gouveia e da Guarda, Álvaro Amaro deixou a promessa de que também irá a Manteigas, à Covilhã e a Celorico da Beira.

Notícias Relacionadas