Aldeias Históricas de Portugal ‘rumo à neutralidade carbónica’

Ambiente/Património

Tornar as 12 Aldeias Históricas de Portugal o primeiro destino turístico carbono neutro do país foi o grande objectivo da assinatura do acordo que foi assinado no dia 17 de Março, em Idanha-a-Velha.
Este novo projecto ‘Rumo à Neutralidade Carbónica’ foi formalizado pelas Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico (AHP-ADT), ADENE – Agência para a Energia, E-REDES e Greenvolt, tendo-se, igualmente, procedido à assinatura do Pacto de Autarcas em Matéria de Clima e Energia, entre os dez Municípios com Aldeias Históricas.
O evento contou com a presença do Presidente da Direcção das Aldeias Históricas de Portugal, Carlos Ascensão, o Presidente do Município de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, o Presidente do Conselho de Administração da ADENE – Agência para a Energia, Nelson Lage, a Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira, a Secretaria de Estado da Energia e do Clima, Ana Fontoura Gouveia, o CEO da E-REDES, Ferrari Careto, e ainda com Jorge Brandão, representante da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDR-C).
O novo projecto “Rumo à Neutralidade Carbónica”, que será formalizado na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha, visa tornar as Aldeias Históricas de Portugal “um destino turístico carbono neutro” e o primeiro, em rede, do país.
“O desafio passa por compatibilizar as mudanças associadas à descarbonização com a manutenção da identidade patrimonial e as peculiaridades de cada Aldeia Histórica”, adiantou a associação.
“Em linha com os 17 Objectivos do Desenvolvimento Sustentável e com o Pacto Ecológico Europeu (Green Deal), este é um passo decisivo para o objetivo de tornar uma Rede de Aldeias na primeira, a nível europeu, a beneficiar de uma posição de eficiente nos domínios hídrico e energético, assente na visão estratégica: `Aldeias Históricas de Portugal: uma rede urbana sustentável e pioneira no seu contributo para o crescimento verde dos territórios de baixa densidade`”, explicou a organização.
Carlos Ascensão, presidente da Aldeias Históricas de Portugal, disse que o protocolo é “um passo decisivo” para que as Aldeias Históricas sejam eficientes “nos domínios hídrico e energético”. Referiu que é preciso “marcar uma posição pela diferença, para oferecermos aquilo que temos de melhor”, e cumprir o compromisso do Programa Pacto de Autarcas, no qual a associação assumiu a redução de 45% de CO2 até 2030.
Recordou que no âmbito da mesma iniciativa foi estabelecida uma parceria com a Renault Portugal para disponibilização de cinco carros eléctricos em Castelo Novo (Fundão), que será replicada a todas as aldeias.
Carlos Ascensão também adiantou que está em curso, em nove das 12 aldeias, o processo de elevação a monumento nacional, para que posteriormente a rede das Aldeias Históricas de Portugal seja candidatada a património da UNESCO.
A Rede das Aldeias Históricas de Portugal abrange Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso.

Notícias Relacionadas