Antigo Centro Educativo do Mondego vai funcionar como Zona Prisional

Cavadoude, Guarda


Foi inaugurada na quinta-feira, dia 21 de Dezembro, a Zona Prisional do Mondego - Estabelecimento Prisional da Guarda, nas antigas instalações do Centro Educativo do Mondego, na Freguesia de Cavadoude, no concelho da Guarda. O acto solene foi presidido pela Secretária de Estado Adjunta e da Justiça, Helena Mesquita Ribeiro.
As novas instalações prisionais ocupam o edificado do antigo Centro Educativo do Mondego que durante 91 anos recebeu jovens em cumprimento de medida tutelar educativa, de acordo com a Direcção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP). O espaço inaugurado está dotado de zona prisional com três secções. Uma destinada a reclusos em situação de regime aberto no interior, sendo as outras duas secções para reclusas de regime aberto e fechado. As instalações comportam ainda, para além de uma área administrativa, salas de convívio e pátios de recreio, refeitórios, espaços escolares e de formação, ginásio, capela, cozinha e, num futuro próximo, quartos de visitas íntimas. “Com uma lotação de 82 lugares, este novo espaço do Estabelecimento Prisional da Guarda acolherá, primordialmente, a população prisional feminina do Interior do país, nomeadamente de mulheres originárias dos distritos da Guarda, de Castelo Branco, de Portalegre e de Viseu”, segundo a DGRSP. É também referido que as reclusas afectas ao Estabelecimento Prisional da Guarda passarão, deste modo, “a dispor de instalações modernas que, para além de uma zona celular com boas condições de habitabilidade, estão dotadas de espaço de formação profissional para curso de cabeleireiro e de operadores de informática, bem como de salas para as actividades escolares e demais equipamentos acima referidos”. “A melhoria das condições de habitabilidade da população reclusa representa igualmente uma melhoria nas condições de trabalho, facilitando tarefas e conferindo maior dignidade a quem aí desempenha quotidianamente a sua actividade profissional”, sublinha a DGRSP.
As obras de requalificação e adaptação do antigo Centro Educativo, a espaço prisional, foram executadas em seis meses, tiveram um custo de 65.000 euros, e foram integralmente realizadas com mão-de-obra prisional. Esta utilização de mão-de-obra reclusa, em melhorias que se destinam também ao uso dos próprios, integra-se numa política de ocupação, de formação e de preparação para o retorno à vida em sociedade, é indicado.

Imprimir